FH 460: modelo pesado – acima de 40 toneladas – mais vendido durante o ano passado.

A Volvo encerrou o ano de 2015 com 5.518 caminhões pesados licenciados, quase um terço do total de 18.663 unidades licenciadas no período, volume que garantiu à empresa a liderança no segmento. Apesar da posição de destaque, a marca sofreu retração de 60,6% em relação a 2014, quando registrou o emplacamento de 14.039 veículos do segmento.

Na linha de semipesados, representada por modelos da linha VM, a empresa entregou 2.831 veículos e obteve participação de 12,3%, contra 12,6% no ano passado. De acordo com números da Anfavea, associação que reúne os fabricantes de caminhão, durante os 12 meses de 2015 a Volvo registrou o emplacamento de 8.349 unidades, contra 19.732 ano passado, uma retração de 57,7% em relação a 2014.

22 VM
Linha VM: a empresa entregou 2.831 veículos e obteve participação de 12,3%, contra 12,6% no ano passado
Bernardo Fedalto, diretor de caminhões da Volvo do Brasil.

Bernardo Fedalto, diretor de caminhões da Volvo do Brasil, avalia que dentro do quadro que foi 2015 para o setor de caminhões, a empresa obteve resultado satisfatório. Como exemplo, ele ressalta a manutenção da marca liderança do segmento de pesados, com 29,6% de participação, “quase um terço dos 18.663 caminhões desta categoria licenciados no período”, conforme reforçou o executivo.

A queda de vendas do mercado de caminhões em geral no ano de 2015 chegou a 47,7%, sendo o recuo maior dos pesados, que chegou a 60,7%. Somando os modelos das categorias caminhões semileves, leves, médios, semipesados e pesados, em 2015 foram emplacadas 71.655 contra 137.059 em 2014. Pelas expectativas de Fedalto, 2015 não será ainda melhor que o ano passado, podendo haver inclusive uma retração de até 15%.

Carlos Morassutti: “O País é muito grande e sempre superou suas dificuldades”

O presidente do Grupo Volvo na América Latina, Carlos Morassutti, complementou que 2015 foi um ano difícil e que 2016 será ainda mais desafiador, e reiterou que o compromisso da empresa com o Brasil é de longo prazo. “O País é muito grande e sempre superou suas dificuldades”, disse o executivo acrescentando que a companhia continuará a investir em novos produtos e soluções que contribuam com o negócio do transporte rodoviário.

Outro destaque da empresa citado por Fedalto, além da liderança no mercado de caminhões pesados é o fato de o modelo FH 460 ter sido o modelo pesado – acima de 40 toneladas – mais vendido durante o ano passado. “É um caminhão muito procurado por transportadores ligados ao agronegócio, que buscam os atributos deste modelo, como grande disponibilidade, baixo consumo de combustível e alta tecnologia embarcada”, acrescentou.

26 VM

Confira na tabela abaixo o comparativo da empresa em relação dos pesados e semipesados em 2014 e 2015:

SEMIPESADOS
      Emplacamento MARKET SHARE
ANO VOLVO GERAL VOLVO
2015 2.831 22.940 12,30%
2014 5.693 45.237 12,60%
PESADOS
      Emplacamento MARKET SHARE
ANO VOLVO GERAL VOLVO
2015 5.518 18.663 29,60%
2014 14.039 47.427 29,60%

 

16 Ruy Meirelles
Rui Meirelles, Preseidente da Volvo Financial Services.

Entre as ações da empresa para enfrentar 2016, consta a oferta do leasing operacional, modalidade pela qual ao final do contrato o cliente devolve o caminhão para a fábrica, como se fosse um aluguel. Outras ações, desenvolvidas durante o ano passado, em parceria com a rede de concessionárias e distribuidores Volvo, foi o desenvolvimento de diversos planos para atender as necessidades dos clientes. Uma delas é o financiamento do valor da entrada para a compra do caminhão nas mesmas condições do Finame.

Outras ações relacionadas são planos de crédito pré-aprovados e o financiamento de veículos usados. Ruy Meirelles, presidente da Volvo Financial Services (divisão do Grupo Volvo responsável pelo financiamento dos produtos da marca), afirma que tratam-se de iniciativas que aliadas ao atendimento aos clientes tornaram–se importante fator de decisão na escolha dos produtos da marca (João Geraldo).

Confira a entrevista realizada pela Revista O Carreteiro com o diretor de caminhões da Volvo do Brasil sobre o mercado brasileiro de caminhões e as expectativas da empresa para 2016