Confira as cinco tendências apontadas pelo gerente comercial da Intecom Logística, Rodrigo Boniaris, que irão impactar o setor de logística em 2017. O executivo afirma que 2016 deixou algumas lições para 2017. Uma delas é otimizar custos, por meio de uma cadeia logística que funcione de maneira adequada, tendo como premissa a busca pela eficiência operacional.

De acordo com o Instituto de Logística e Supply Chain (Ilos), os custos logísticos no Brasil equivalem a mais de 10% do Produto Interno Bruto (PIB), com forte influência da atividade de transportes. Esses gastos representam cerca de 10% do faturamento das empresas brasileiras.

1 – Novas oportunidades, mesmo na crise

Por conta do período econômico vivenciado pelo País, o executivo acredita que, a exemplo do ocorrido em 2016, muitas empresas continuarão a buscar eficiência operacional, com custos reduzidos e processos mais eficazes. “Em momentos de crise econômica, é importante canalizar os esforços nas questões que trazem resultado. O objetivo é não dispender energia em projetos que não agreguem, tomando tempo e dedicação do time. Como diz o jargão, a crise traz oportunidades, principalmente para operações logísticas”, enfatiza Boniaris.

2 – Processos cada vez mais automatizados

A tecnologia é forte aliada de processos ágeis e que necessitam funcionar conforme o esperado. No setor logístico, onde é importante acompanhar cada etapa que envolve a cadeia em tempo real, além de ter total controle dos itens armazenados e transportados, o uso da tecnologia é fundamental. Atualmente, existem diversas tecnologias e técnicas disponíveis para agilizar e otimizar os fluxos e processo desta área.

De acordo com Boniaris, em vista deste cenário, as empresas vão buscar processos cada vez mais automatizados, que tragam bons resultados para os negócios e satisfação para o cliente final.

3- Verticalização dos serviços  

Uma das tendências do ano de 2017 será a busca de um player logístico que realize todos os serviços que envolvem a cadeia logística, como armazenagem, distribuição e, principalmente, a gestão de todo o processo. Por isso, empresas como a Intecom, um integrador logístico, são parceiras na estratégia dos clientes, visando melhores resultados.

4- Compartilhamento de custos

Segundo Boniaris, a queda nos volumes das empresas (devido ao consumo retraído) trouxe a necessidade de compartilhamento de recursos, afim de otimizar os custos. “A Intecom, enquanto integrador logístico, tem focado nesta proposta de otimização para os clientes, o que tem dado muito certo”, explica.

5- Foco do cliente

As empresas do setor logístico que souberem desvendar as reais necessidades do cliente em 2017 terão um destaque importante no mercado. “A Intecom Logística enxerga a estratégia logística pela visão do cliente, sabendo conduzir a operação logística, do ponto de vista deste cliente. O principal diferencial, neste sentido, é agregar inteligência onde há necessidade na operação logística”, aponta Boniaris.