Der Mercedes-Benz „TopFit Truck“, Mercedes-Benz Actros; The Mercedes-Benz “TopFit Truck“

Os caminhões são desenvolvidos para pessoas com peso normal, podendo, portanto, ser um problema para motoristas. Como fazer para levantar o corpo massivo nos degraus e entrar na cabine? O que fazer com a barriga espremida constantemente pelo volante? Até agora não se tinha resposta para essas perguntas, ignoradas pelos fabricantes de caminhões, porém, engenheiros de ergonomia da Daimler Trucks já trabalham para identificar quais são as principais dificuldades dos carreteiros obesos para tentar encontrar soluções que possam melhorar o cotidiano dos profissionais com este perfil.

Para isso, eles inventaram um macacão que pesa 25 quilos e que ajuda quem estiver vestido com ele a ter uma ideia dos problemas diários enfrentados pelos obesos. A experiência chama atenção para as necessidades específicas do público-alvo da empresa. “Os clientes são obesos, mas as pessoas que desenvolvem os veículos são magras e não têm noção das dificuldades enfrentadas todos os dias pelos motoristas obesos ao entrar no caminhão”, explica Richard Sauerbier, engenheiro de ergonomia da Daimler Trucks, que desenvolveu o macacão. O departamento Human Factors da Mercedes é responsável pelo projeto que visa melhorar as condições de trabalho das pessoas que operam o dia todo sentadas atrás do volante. “O caminhão não só é um meio de locomoção e transporte de mercadorias, mas também o ambiente de trabalho, sala de estar e muitas vezes cozinha e dormitório dos motoristas”, constata o manager de aperfeiçoamento de condições da Mercedes, Siegfried Rothe.

7941t

O engenheiro Richard Sauerbier, utilizando o macacão, destaca que as pessoas que desenvolvem os veículos não têm noção da dificuldade que o motorista obeso sente na jornada de trabalho

A unidade de desenvolvimento pesquisou como obter aumento de desempenho a partir do conforto proporcionado pelo veículo, e constatou que o bem-estar do motorista traz uma série de efeitos positivos, como redução do número de acidentes e também do consumo de combustível. “Se o condutor não estiver descansado, ele também aumenta o desgaste do veículo e o consumo”, explica Rothe.

Assim como a fadiga, a ergonomia é um dos principais motivos de acidentes, envolvendo meios de transporte de mercadorias pesadas. Se a ergonomia não estiver de acordo, ela provoca mal-estar no volante, tendo o mesmo efeito do cansaço. “Um motorista que é obrigado a dirigir o dia inteiro com o volante roçando a barriga, fica incomodado com essa situação. Eu não tenho esse problema, mas tenho muitos amigos que passam por isso”, comenta o carreteiro Folker Hornung.

Siegfried Rothe, Manager Condition Enhancement, TopFit Truck

O motorista passa maior parte do tempo no caminhão, o conforto e seu bem estar trazem uma série de efeitos positivos, comenta Siegfried Rithe, da Mercedes

Pensando em ajudar motoristas obesos, há várias iniciativas em andamento. O departamento de pesquisa da Mercedes desenvolveu um Caminhão chamado Top Fit Truck, com perfurações no teto da cabine para montar expansores ou mesmo para se exercitar fora da cabine. O conceito de condicionamento físico inclui mais de 70 exercícios para as áreas do pescoço, ombro, costas, tronco e pernas.

O novo Actros, por exemplo, tem poltronas mais largas, mais espaço entre o volante e o assento, estufas antiderrapantes e uma alça bem estável que ajuda o motorista na hora de subir na cabine. Um assento com massagem está entre os adicionais. A Scania, por sua vez, tem uma academia na qual os condutores podem aprender alguns exercícios e alongamento para serem praticados durante as viagens.

7942t

Folker Hornung lembra que o motorista obeso fica incomodado com o volante roçando a barriga e sugereque seria bom se tivessem locais para treinar nos estacionamentos

As iniciativas são bem-vindas pelos motoristas profissionais, que também tiveram oportunidade de sugerir melhorias nesse sentido. “Sempre que tenho disponibilidade vou caminhar, mas seria muito bom se tivéssemos academias ou oportunidades de treinar nos estacionamentos”, propõe o carreteiro Hornung, que atua há 18 anos na profissão transportando cargas e diz que não engordou porque se alimenta de maneira saudável e se movimenta bastante.

O departamento de pesquisa da Daimler constatou que além de uma noite de sono mal dormida ser problema para o motorista, a monotonia gerada por longas horas de viagem também, pois provoca tensão no corpo e diminui a capacidade de desempenho cerebral. Por esse motivo, engenheiros de ergonomia estão trabalhando e testando os benefícios de novos equipamentos na cabine e considerando variações que possam contribuir para quebrar a monotonia.

Mercedes-Benz "TopFit Truck"

Expansores desenvolvidos para o Top Fit Truck podem ser usados pelos motoristas se exercitarem também fora da cabine do caminhão

Nesse sentido, o interior da cabine do Fit Truck está equipado com um assento com massagem, ajuste eletrônico do banco para o motorista poder esticar suas pernas até o volante, uma almofada especial, sistema de som e um pulverizador de fragrância que também podem ajudar na hora de relaxar.

Outra inovação também em pesquisa, é a inserção de dois computadores de bordo que capturam os dados de condução e de saúde do condutor. O primeiro deles está coligado a três câmeras que documentam o tráfego e a situação do motorista. Outra possibilidade do sistema é a comparação da condução analisando a aceleração, direção e frenagem. O segundo computador tem a função de manter o programa de condicionamento físico e de música preparado. “Os nossos testes e experiências com o Top Fit Tuck ajudaram a melhorar a situação dos motoristas”, explica Rothe.

Por Wilgen Arone