Essa tal de era da informação está mudando o mundo e não é de hoje. A gente vê todos os dias como a Internet revolucionou as relações humanas, os hábitos de consumo, o acesso à informação. Hoje, tudo está na rede, todo mundo está conectado às mídias sociais e, com os celulares modernos, os smartphones, temos o mundo na palma das nossas mãos a qualquer momento.

E que vantagem o carreteiro e o mundo do transporte de cargas levou. Para começar, o Brasil começou a ver, em meados de 2013, o nascimento de um novo jeito de relacionar quem contrata frete com quem transporta carga. E esse jeito novo, usando aplicativos eletrônicos de cargas, está crescendo e se transformando em uma ferramenta importante para a vida do estradeiro.

Estima-se que hoje existam mais de 500 mil motoristas de caminhão autônomos que já baixaram algum aplicativo de frete. Entre os principais do mercado, nomes como TruckPad, Busca Cargas, Fretebras, Brasil Frete e Sontra começam a ficar cada dia mais populares e a fazer parte do cotidiano do transportador autônomo. Em todos eles o carreteiro pode encontrar vantagens, informações e benefícios.

Com o aplicativo é possível, por exemplo, o motorista receber as ofertas de carga, negociar o frete, saber qual é a distância para fazer a coleta e a entrega, calcular o pedágio, mandar uma mensagem à família que está em casa e ainda organizar suas finanças. A cada dia, os desenvolvedores criam novas aplicações e vantagens para os usuários.

“O uso do aplicativo traz economia, agilidade e confiabilidade aos processos e beneficia os dois lados: o carreteiro e o embarcador. O Brasil tem um mercado enorme de transporte de cargas e, segundo nossas pesquisas, cerca de 80% dos transportadores autônomos já ouviram falar dos aplicativos eletrônicos de frete. Mas é um mercado ainda em expansão, precisamos disseminar esse conceito para melhorar o transporte brasileiro como um todo”, comenta Amanda Hurtado, executiva do BuscaCargas, um dos aplicativos em ascensão.

Para dirigentes das empresas que operam frete com aplicativos eletrônicos, os agenciadores tradicionais ainda vão continuar no mercado
Para dirigentes das empresas que operam frete com aplicativos eletrônicos, os agenciadores tradicionais ainda vão continuar no mercado

“Ainda há carreteiros que têm medo de usar a novidade, não querem colocar seus documentos no aplicativo. A partir do momento em que ele confiar no sistema, sua vida vai mudar, pois ele não vai mais precisar gastar para correr atrás de uma carga de retorno, ser explorado por atravessadores e vai ter o direito de negociar seus fretes, ganhar melhor e ter mais orgulho de ser carreteiro”, diz Carlos Mira, empresário e criador do TruckPad, um dos pioneiros dos aplicativos no Brasil, e que também já foi presidente de transportadora.

Datar o início dos aplicativos de frete aqui no Brasil não é fácil, pois antes mesmo que houvesse os sistemas para dispositivos móveis, o conceito de frete eletrônico e sites que ofereciam fretes já existia desde 2008. Mas os pioneiros, os primeiros sistemas a surgir, foram o Fretebras e o TruckPad, um a partir da tradição dos fretes online via site, o outro com uma trajetória de startup vencedora de prêmios, aceleração nos Estados Unidos e grandes investidores.

Segundo estimativas, atualmente mais de 500 mil motoristas de caminhão autônomos já baixaram algum aplicativo de frete
Segundo estimativas, atualmente mais de 500 mil motoristas de caminhão autônomos já baixaram algum aplicativo de frete

“Nosso aplicativo foi lançado em 2013, mas a ideia do TruckPad nasceu em 2011, quando voltei de uma viagem à Califórnia, visitando o Vale do Silício. Fomos ganhadores de prêmios internacionais de inovação em startups e ficamos seis meses aprimorando o sistema nos Estados Unidos”, conta Carlos Mira. Hoje o TruckPad é o líder do mercado, com 450 mil downloads.

Pelo smartphone, os aplicativos possibilitam receber ofertas de carga, negociar o frete, calcular pedágio, se comunicar com a família, além de várias outras funções
Pelo smartphone, os aplicativos possibilitam receber ofertas de carga, negociar o frete, calcular pedágio, se comunicar com a família, além de várias outras funções

Ariadne Godinho, diretora Comercial da plataforma Fretebras, destaca a plataforma de fretes online da empresa foi lançada nos anos 2000, e somente em 2008 o sistema foi batizado de Fretebras. Existimos para ampliar o campo de visão do carreteiro e hoje temos 170 mil veículos cadastrados, com cerca de 300 novos usuários todos os dias”, explicou a executiva.

Já o BuscaCargas, que conta com mais de 20 mil usuários, surgiu da iniciativa do empresário Tiago Gobett que também viu nos Estados Unidos uma realidade de tecnologia que poderia ser aplicada no Brasil. “Após percorrer o território americano de caminhão, o Tiago percebeu que os motoristas ficavam buscando novas cargas pelo notebook. A partir daí voltou ao Brasil com a ideia de criar um sistema nacional, investindo pesado no sonho e conquistando uma base de motoristas e de embarcadores”, diz Amanda Hurtado.

Com o desenvolvimento de vários sistemas disponíveis no mercado, atualmente, todos gratuitos, a oferta de aplicativos de carga é grande e as facilidades para o usuário se multiplicam a cada dia. A unanimidade entre os desenvolvedores dos sistemas é a otimização de recursos para o carreteiro, para o embarcador e para o transporte como um todo. “O Brasil depende do caminhão e em diversas frentes os aplicativos são uma forma de melhorar essa relação entre quem transporta e quem contrata o frete”, diz Leonardo Ribeiro, gerente de Desenvolvimento do Brasil Fretes, aplicativo que também segue em ritmo de crescimento. Ele acrescenta que a nossa proposta é oferecer uma base sólida de embarcadores, principalmente no agronegócio, para atrair os motoristas com boas ofertas de carga, facilitando a vida do carreteiro e trazendo mais confiabilidade aos processos.

O Brasil tem um grande mercado de transporte de carga, onde mais de 80% dos autônomos já ouviram falar dos aplicativos eletrônicos de frete
O Brasil tem um grande mercado de transporte de carga, onde mais de 80% dos autônomos já ouviram falar dos aplicativos eletrônicos de frete

Além de oferecer a oportunidade de buscar novas cargas para não rodar vazio, oferecer mais informações ao embarcador, dar liberdade para o carreteiro negociar seu frete e tantas outras vantagens, os sistemas eletrônicos de frete estão preparando mais utilidades para facilitar a vida do estradeiro. Os sistemas já calculam o frete, o pedágio, faz as rotas, traz informações de trânsito e dão a localização do caminhão.

Agora, os sistemas querem ajudar o transportador autônomo mais de perto, oferecendo assessoria até para fazer o cadastro, ajeitar os documentos e fazer a checagem do caminhão. “Muitas vezes o carreteiro não consegue ser contratado pelo embarcador por uma questão de detalhe de documentação, ou por causa do cadastro. Nós estamos testando um serviço que liga para o motorista, o auxilia a fazer o cadastro na gerenciadora de risco, cuida dos documentos e tudo mais, para ajudá-lo em todo o processo e garantir a contratação”, revela Carlos Mira, do TruckPad.

Leonardo Ribeiro, do Brasil Fretes, explica que a proposta é oferecer uma base sólida de embarcadores, principalmente no agronegócio, com boas ofertas de carga
Leonardo Ribeiro, do Brasil Fretes, explica que a proposta é oferecer uma base sólida de embarcadores, principalmente no agronegócio, com boas ofertas de carga

O uso dessas tecnologias modernas em prol do transporte de cargas, para melhorar a vida do carreteiro é uma tendência irreversível. Mas será que isso vai acabar com os agenciadores de carga tradicionais? Segundo o pessoal dos aplicativos, ainda não. O frete direto no celular traz transparência para as relações, movimenta uma onda de organização, de valorização do trabalho do motorista de caminhão e espanta os oportunistas.

Ainda há carreteiro com medo da novidade, mas a partir do momento que ele confiar no sistema sua vida vai mudar, diz Carlos Mira, do TruckPad
Ainda há carreteiro com medo da novidade, mas a partir do momento que ele confiar no sistema sua vida vai mudar, diz Carlos Mira, do TruckPad

Quanto ao agenciador que só atravessa a operação, que ganha porcentagem sobre o frete sem agregar nada, esse deve desaparecer aos poucos. Isso porque o carreteiro está cada vez mais bem informado e inserido em uma rede de informações que o ajuda a ser mais eficiente, mais rentável, produtivo e melhor em seu trabalho. A tecnologia veio para ficar e tem sido uma boa companheira até agora.

OS CINCO MAIORES

TRUCKPAD
Um dos pioneiros, foi criado a partir de uma startup premiada, acelerada nos Estados Unidos e conta hoje com uma base de 450 mil veículos cadastrados. É parceira do MapLink.
SONTRA
Tem 250 mil usuários na base e trabalha para refinar as buscas e oferecer mais oportunidades aos carreteiros por meio de pesquisas.
FRETEBRAS
Pioneira na modalidade de fretes online, o aplicativo tem 170 mil veículos cadastrados e ganha 300 novos usuários todos os dias.
BUSCA CARGA
Com uma base de 30 mil carreteiros, o aplicativo tem a meta de ampliar as operações para cargas expressas e também para o transporte por meio de motocicletas
BRASIL FRETES
Com foco no agronegócio, o aplicativo tem nova versão disponível e promete trazer ofertas de peso para os carreteiros interessados nas cargas agrícolas

 

por Leonardo Andrade