foto: portal NTC&Logística

Mais de cinco mil caminhões estão impedidos de trafegar pela rodovia BR 163, que liga Mato Grosso ao porto de Miritituba, no Pará, importante ponto para o escoamento da soja. O motivo é um atoleiro que se formou por conta das fortes chuvas na região.

Motoristas enfrentam dificuldades e usam a água da chuva para tomar banho e cozinhar. Já são 30 dias e 50 quilômetros de congestionamento, entre os municípios de Três Boeiros e Caracol /PA.

O diretor executivo da ATC-Associação Brasileira dos Transportadores de Carga do Mato Grosso, Miguel Antônio Mendes, explica que entre os municípios de Guarantã do Norte e os terminais de Mirituba já são 700km, dos quais 150 quilômetros sem asfalto.

A economia também já está sendo fortemente afetada. Estima-se um prejuízo diário de 400 mil dólares, sem contar com outras perdas indiretas e potenciais. Em nota, a Abiove, Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais, diz que “caso a BR-163 continue intransitável, os danos serão irrecuperáveis para o Brasil.”

O Exército promete intervir na situaação e liberar o fluxo de carga até o dia três de março. Para José Hélio Fernandes, presidente da NTC, “esta é uma mostra da triste situação das rodovias brasileiras. Já era lamentável antes; agora em estado crítico de crise econômica, é simplesmente inaceitável”, disse.

fonte: NTC&Logística