O BNDES publicou na última terça-feira (19/08), no Diário Oficial da União, a Circular nº 35,  que amplia a parcela financiável de implementos rodoviários, caminhões novos e demais bens de capital descritos no programa PSI/Finame. O percentual que era 80% para empresas com Receita Operacional Bruta (ROB) acima de R$ 90 milhões ao ano e 90% para companhias com ROB igual ou inferior a esse valor. Com a publicação da Circular  nº 35 os percentuais foram unificados em 100%, independente da Receita Operacional Bruta. Os juros anuais de 6% foram mantidos.
No caso do segmento de implementos, a medida pode trazar benefícios positivos às vendas porém não terá a capacidade de reverter a expectativa de balanço negativo em 2014, conforme previsão do presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários (ANFIR), Alcides Braga. A entidade prevê retração de 10% nas vendas desse ano em relação ao total de 2013. Para a ANFIR, mesmo sem conseguir reverter a situação atual as medidas poderão ajudar no desempenho do mercado em 2015, mas e necessário dar continuidade.
Essa é a terceira medida adotada pelo governo no espaço de um mês para dar suporte à indústria de implementos rodoviários. As outras duas foram a inclusão do setor no programa de renovação de frota do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e na linha de financiamento para pequenos produtores rurais .