A Daimler Trucks acaba de apresentar na Alemanha o caminhão que viaja pelas rodovias sem necessidade de o motorista estar o tempo todo ao volante.  Dotado de tecnologias que incluem o controle de distância do veículo à frente, anda e para e leitores de faixa, entre outras já existentes, o “caminhão do futuro” já é uma realidade que deverá estar nas estradas europeias dentro de 10 anos, conforme expectativa dos executivos da Daimler Trucks e de autoridades da Alemanha e da União Europeia.
Chamado pela companhia de “Future Truck 2025”, o caminhão é um novo Actros com motor de 440cv de potência e caixa de câmbio – PowerShift 3 –  de 12 velocidades totalmente automatizada. O veículo foi apresentado em operação para um grupo de cerca de 300 jornalistas de 32 países, em rodovia nas proximidades da cidade de Magdeburg (Alemanha). Um grande passo a ser dado agora, é em relação à questão legal que envolve a legislação do caminhão autônomo nos países do continente e principalmente da União Europeia, porque um veículo que roda por terra sem o controle direto do elemento humano (como acontece com o piloto automático dos aviões) é uma nova realidade.
Para os executivos da companhia, a tecnologia transforma o caminhão num escritório ambulante que não dispensa a presença do motorista, que poderá executar outras tarefas ou mesmo descansar enquanto o caminhão segue viagem. A meta é que o motorista passe a ser um gestor de transporte. Outras vantagens apontadas são a redução do consumo de combustível, mais segurança nas rodovias e qualidade de vida para o condutor.
Ao ativar o sistema “Highway Piloto”, o motorista poderá girar seu assento na posição de 45 graus para o lado direito e deixar o veículo seguir viagem. De acordo com executivos da Daimler Trucks, o posto de condução do caminhão do futuro terá um console central similar a estação de trabalho de um escritório, onde o motorista terá à disposição um tablet para executar outras atividades e comunicação e maior liberdade de movimentos.
Entre as vantagens proporcionadas por um veículo autônomo pode se destacar a possibilidade do condutor realizar outras tarefas durante a viagem, a redução do consumo de combustível, ter informações antecipadas das condições de trânsito e da rodovia e mais segurança, destacam os técnicos da companhia.
Há expectativa também de que com o caminhão autônomo o motorista deixará de ser um operador da máquina para ser um gestor qualificado, o que valorizará a profissão e a tornará mais atraente. Em futuro próximo, os meios eletrônicos do veículo permitirão também não somente a comunicação com outros condutores – para encontrá-los em áreas de descanso -, como também reservar vagas em estacionamentos e postos de serviço, banho e até encomendar a refeição informando sua hora de chegada ao local.
Veja matéria completa na edição 478 (agosto) da Revista O Carreteiro