Considerada uma as transmissões mais modernas do mercado de pesados, a ZF TraXon chega à terceira geração, tem início da produção da versão híbrida confirmado para 2019 e em breve equipará algum caminhão brasileiro.

Transmissão TraXon Hybrid começa a ser produzida em 2019. Foto: ZF

Por questão de segredo industrial, a ZF não pode dizer em qual marca e modelo de caminhão que TraXon fará a sua estreia no Brasil. A produção ocorrerá na planta industrial de Sorocaba (SP).

A ZF TraXon, lançada na IAA (Salão de Hannover) de 2016 é a primeira caixa que pode receber diferentes sistemas de acoplamento, como embreagem automatizada de uma ou duas embreagens, conversor de torque e tomada de força. Outra caraterística inédita, é que pode ser acoplado também um motor elétrico, transformando o caminhão em um veículo híbrido (diesel e elétrico). A TraXon terá opções de 12 e 16 velocidades e torque de 3.600 Nm para aplicações em caminhões rodoviários pesados. Na Europa, ela já equipa pesados de diversas marcas.

A revista TRANSPORTE MUNDIAL pode dirigir um cavalo mecânico Iveco de teste com a TraXon Hybrid de 12 velocidades (veja o vídeo nesta matéria). O motor elétrico acoplado à caixa conduziu o caminhão até 35 km/h. Após esta velocidade, é o motor diesel é acionado automaticamente. Vale ressaltar que o modelo Iveco é apenas de teste e não significa que seja a Iveco a montadora que irá lançar versão com a nova tecnologia.

Caixa de câmbio Traxon

Testamos uma transmissão com motor elétrico que reduz consumo e emissões de poluentes. Ela pode revolucionar a logística.

Posted by Transporte Mundial on Friday, June 29, 2018

Os benefícios para os frotistas são indiscutíveis, logicamente, dependendo do preço desta versão híbrida. O uso do motor elétrico em centros urbanos e em pátios de manobras trazem, no mínimo, três benefícios para a gestão da frota. O primeiro e mais óbvio é a redução do consumo de combustível, já que, exatamente, nas baixas velocidades e o para e ande do trânsito que ocorre o mais consumo. Pela mesma razão, também poderá haver a redução com custo de manutenção com o trem de força, já que a retirada da imobilidade pelo motor elétrico provoca muito menos trancos em todo o sistema de transmissão. E, o terceiro benefício é para toda a sociedade, pois enquanto o caminhão estiver tracionado pelo motor elétrico, a emissão de poluentes é zero.

Caminhão de teste com a caixa de marchas TraXon Hybrid. Foto: Marcos Villela

Inicialmente, a TraXon será oferecida no Brasil com as possibilidades de acoplamento a sistemas de embreagens automatizadas ou convencional com conversor de torque.

por Marcos Vilella