Desde o dia 1º de agosto, estão liberados três quilômetros de pista duplicada  em trecho da Serra do Cafezal,  na Régis Bittencourt, na região de Miracatu/SP. A informação é da Autopistas  Régis Bittencourt, concessionária responsável pela administração dos 402 quilômetros de pista da BR-116 entre as cidade de São Paulo  e Curitiba/PR.
O trecho liberado compreende dois segmentos no sentido São Paulo entre o km 363 e o 361,5, e entre o km 349 e o km 347,5 incluindo quatro viadutos. Outro trecho de aproximadamente 3,5 quilômetros estão em fase final de obras, na pista sentido Curitiba, com a conclusão de mais cinco viadutos e pavimentação da pista nova com previsão de entrega em 60 dias.
A duplicação da Régis Bittencourt na Serra do Cafezal é uma obra esperada há anos, por tratar-se de um trecho com grande movimentação de caminhões e perigoso, tanto em relação aos acidentes quanto a roubos e furtos a motoristas. A obra de duplicação Serra do Cafezal é tida pela concessionária Autopistas como a mais importante do contrato de concessão com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), pelo fato de o trecho ser o único em pista simples da rodovia.
De acordo com a concessionária, as obras de maior porte no trecho da Serra são o túnel na altura do km 357, com aproximadamente 800 metros de extensão. Serão implantados ainda outros dois túneis (no km 360 e no km 361) somando juntos quase 600 metros de extensão. Neste trecho, também estão os dois viadutos mais extensos que compõem as obras de duplicação, com 1,2 quilômetros de comprimento.
O diretor superintendente da Autopista Régis Bittencourt, Eneo Palazzi, explica, que estas são as obras que irão contribuir diretamente para a melhoria do tráfego e para a segurança na rodovia. Com a conclusão dos trechos acima citados, a Serra do Cafezal contará com 22 quilômetros de pista nova duplicada, três túneis e 14 viadutos até o final de 2015. O quarto túnel previsto para a duplicação ficará localizado no km 349, próximo ao Posto Graal Japonês. O trecho restante de 8 quilômetros na parte central da Serra, ainda não iniciados, receberá obras na sequência, com contratações por lotes, como tem sido realizado até agora.
A duplicação total do trecho da Serra do Cafezal inclui 30 quilômetros, começando no km 336,7 (Juquitiba-SP) e terminando no km 367 (Miracatu-SP) da rodovia Régis Bittencourt. Destes 30 quilômetros, 11 já foram duplicados e estão em operação. São 36 pontes e viadutos e quatro túneis projetados para minimizar o impacto ao meio ambiente. Ainda de acordo com a Autopistas  Régis Bittencourt, atualmente cerca de 1.200 trabalhadores atuam nesta fase das obras, em trechos onde estão em andamento a construção de três túneis previstos no projeto de duplicação. A conclusão total da duplicação da Serra do Cafezal está prevista para fevereiro de 2017.