Entre os dias 21 e 23 de novembro, o 15º Congresso e Exposição Internacional de Tecnologia da Mobilidade SAE Brasil, realizado em São Paulo,  reuniu cerca de 7,4 mil profissionais de 2,9 mil empresas da área da mobilidade, que visitaram o evento e participaram de 24 fóruns com mais de 170 apresentações técnicas. Esta edição disponibilizou também visitas técnicas ao centro tecnológico Unicamp e à linha de produção da Ford Caminhões

No primeiro discurso como presidente do Congresso SAE BRASIL 2007, José Henrique Senna, gerente executivo da Scania Latin América, adiantou que o principal foco e o debate sobre tecnologias que reduzam os impactos causados pelos acidentes de trânsito. Segundo Senna, atualmente no Brasil os gastos com acidentes automobilísticos chegam a R$ 28 bilhões ao ano e a engenharia da mobilidade deve se esforçar para reduzir esse número em pelo menos 30%. O discurso foi feito durante o Painel de Encerramento do 15º Congresso e Exposição Internacionais de Tecnologia da Mobilidade SAE BRASIL, que discutiu o tema Sustentabilidade e a Matriz Energética Mundial – A Contribuição da Engenharia Brasileira.

Na opinião de Richard Schaum, presidente da SAE International em 2007, que veio ao País para participar do Congresso SAE BRASIL 2006, a competência da engenharia brasileira ficou evidente inclusive na realização do evento. \”As questões da engenharia da mobilidade são as mesmas em praticamente todo o mundo, mas o Brasil se diferencia dos demais por dispor de várias fontes de energias renováveis\”, afirmou Schaum.

Entre as empresas que se destacaram na mostra, os visitantes apontaram três como as que mais se destacaram na apresentação de inovações tecnológicas. Uma das escolhidas foi a Bosch, que trouxe, entre outras novidades, a tecnologia DGFlex, sistema bicombustível que permite veículos com motores diesel funcionarem também com GNV (Gás Natural Veicular). Nessa mesma linha de pesquisa, a Delphi, também eleita pelos participantes, apresentou seu primeiro protótipo funcional do sistema gás (GNV) – diesel. A terceira empresa destacada pelos congressistas foi a General Motors, que mostrou seu novo sedã Prisma, modelo totalmente desenvolvido por designers e engenheiros brasileiros e é equipado com o motor 1.4 Econo Flex, que incorpora a tecnologia flex fuel.

Dentre os 182 trabalhos técnicos inscritos nesta edição do Congresso, dois deles ganharam o reconhecimento em avaliação feita pelo Comitê Técnico da SAE BRASIL e público. O destaque nacional foi para os pesquisadores Fernando Stancato e Arlindo Tribess, da Escola Politécnica da USP (Universidade de São Paulo) com o trabalho \”Avaliação térmica do conforto da cabine do avião usando manequins numéricos\”. E dentre os \’papers\’ internacionais os vencedores foram Albert Tuertscher e Frank Fassbender, ambos da AT Engineering, com o trabalho \”Simulação de estresses dinâmicos incluindo contatos flexíveis com o uso da tecnologia MFBD\”.

Fernando Stancato, autor principal responsável pelo trabalho técnico nacional, ganhou o direito de apresentar o estudo no SAE 2007 World Congress, em Detroit, nos Estados Unidos, em abril de2007, além de ganhar o Prêmio Gabriel Gueler, oferecido pelo engenheiro Gabriel Gueler, que fará uma doação de R$ 2 mil ao vencedor, para estimular ainda mais novos estudos tecnológicos na área da mobilidade. Já os autores do melhor \’paper\’ internacional ganharam o direito de retornar ao País no Congresso SAE BRASIL 2007, a fim de apresentar suas novas pesquisas.