Seja a transmissão automática ou automatizada, a sensação para quem dirige é praticamente a mesma: o veículo não tem pedal de embreagem e os engates de marchas são feitos automaticamente conforme a situação exige, sem qualquer interferência do motorista.  Tratando-se de veículos pesados, o tipo de operação é o que define se automática ou automatizada para se obter o melhor resultado.

Transmissão Automatizada

A transmissão automatizada é uma caixa de câmbio manual, cujas trocas de marchas são realizadas por atuadores hidráulicos que recebem comandos eletrônicos para acionar a embreagem e fazer os engates. Esta tecnologia – que depende da eletrônica embarcada – conquistou rapidamente os transportadores em todo o mundo e não foi diferente no Brasil e atualmente é item normal de série em praticamente todos os caminhões pesados e semipesados produzidos no País.

Engenheiros de montadora defendem que o sistema automatizado é mais durável e requer menos trocas de peças e proporciona maior economia de combustível e ainda permite que o motorista possa usar sua experiência e mudar manualmente de marchas em determinadas situações.

Transmissão Automática

Já a caixa de transmissão automática tem outra construção e as trocas de marchas são feitas por engrenagens planetárias conforme o giro do motor. Diferente da caixa automatizada na qual as engrenagens de marchas enfileiradas são fixas, a automática utiliza engrenagens planetárias.

As caixas automáticas têm nicho de mercado nos caminhões que fazem coleta de resíduos e em outros tipos de operação “anda-para” ou que necessitam de trafegar em velocidades muito baixas, como caminhão de trio elétrico, por exemplo.

Testes já demonstraram que caminhões com transmissão automática chegam a ter produtividade acima de 30% maior na operação de coleta de lixo, por exemplo, se comparados a outros com caixas manuais. Isso considerando operações sob semelhantes condições de percurso e turbo de trabalho dos motoristas.

Benefícios

Portanto, em caminhões com caixa automática ou automatizada, as trocas de marchas acontecem automaticamente e facilitam o trabalho do motorista, porém, tecnicamente são diferentes tanto no tamanho e peso, quanto na forma de realizar os engates de marchas.

A caixa automatizada permite a opção para a condução manual, embora nesse caso as trocas sejam feitas geralmente por meio de um botão, um modo muito mais simples do que com a tradicional alavanca de marchas.