Wellington Cirino, tetracampeão da Fórmula Truck e piloto com maior número de vitórias no autódromo Internacional de Campo Grande, na capital do Estado de Mato Grosso do Sul, chegou à quinta vitória neste domingo (16 de maio) ao vencer a terceira etapa do campeonato brasileiro. Cirino havia largado na quarta posição – ao lado do atual campeão Leandro Totti, numa corrida com muitas quebras, na qual ele foi o terceiro a ocupar a posição de liderança.

Sem conquistar vitória na categoria desde a etapa de Guaporé, no ano passado,  Cirino admitiu que não tinha expectativa de chegar ao primeiro lugar no pódio, considerando que seu novo caminhão Mercedes-Benz encontra-se ainda em desenvolvimento, principalmente no que diz respeito ao motor, se comparado aos principais adversários. “Acabei herdando o resultado, mas de todo modo estou muito contente com o trabalho da equipe e sei que temos ainda muito para andar para chegar nos líderes, mas vamos chegar lá”, disse o piloto.

A alta temperatura em Campo Grande, condição comum na região, foi um dos principais adversários na corrida, devido às muitas quebras nos caminhões, sendo as principais delas em razão do superaquecimento do motor. Por conta disso, dos 19 trucks que começaram a prova, apenas nove completaram as 22 voltas da corrida. quebras de turbina e problemas no sistema de arrefecimento, principalmente, foram os principais problemas enfrentados pelos pilotos e equipes.

A corrida começou com o paranaense David Muffato na pole position. Ele conseguiu segurar a liderança até o início da segunda parte da prova, depois de evitar várias tentativas de ultrapassagem por parte de Felipe Giaffone, seu colega na equipe RM Competições. A ultrapassagem aconteceu logo após seu caminhão MAN ter passado com as rodas do lado direito fora do asfalto, perder tempo e permitir uma maior aproximação de Giaffone, que momentos após assumiu a liderança da corrida.

Giaffone passou e começou a abrir vantagem, numa demonstração de que seu Volkswagen estava muito bem acertado para a pista de Campo Grande. Porém, sua liderança durou pouco, porque logo em seguida seu caminhão começou a soltar fumaça e parou. O problema era a quebra da turbina, havendo inclusive um início de incêndio. Momentos antes, Adalberto Jardim havia saído às pressas de seu caminhão, que estava envolvido em chamas e teve o fogo apagado pelo piloto e e pessoal da equipe de resgate.

Com a parada de Giaffone, David Muffato recuperou a liderança. Atrás dele estavam, pela ordem, André Marques, Wellington Cirino, Diogo Pachenki e Djalma Fogaça, o quinto colocado na pista. Porém, logo em seguida, o caminhão de Muffato começou a soltar fumaça. Sua equipe informou que o problema não era tão grave e daria para ele chegar ao final da corrida.

Na quinta volta, o caminhão de André marques rodou e saiu da pista permitindo que Wellington Cirino viesse a assumir a vice-liderança da prova. A esta altura, Diogo Pachenki, que havia largado na 18ª posição, e feito uma corrida de recuperação, já era o quarto colocado. Sua situação, assim como a Cirino ficaria melhor ainda no momentos seguintes, com a comunicação de que David Muffato teria de ir para o boxe devido à fumaça de seu caminhão.

Após cumprir a determinação dos comissários técnicos, Muffato voltou para a pista na nona posição, enquanto Cirino passou a ser o novo líder da corrida e com a expectativa vencer pela quinta vez em Campo Grande.  Isso porque, Pachenki, que enfrentava problemas com a caixa de câmbio estava atrás com a diferença de mais de um segundo. Além disso, a corrida estava quase no final.

Sem novas trocas de posições entre os cinco primeiros colocados, Cirino cruzou a linha de chegada na primeira posição, com Pachenki em segundo.  Djalma Fogaça cruzou a linha de chegada em terceiro, Débora Rodrigues em quarto e Luiz Lopes em quinto.

A terceira corrida do campeonato foi concluída com pilotos de quatro diferentes marcas de caminhões nos primeiros cinco lugares: Mercedes-Benz em primeiro e segundo, Ford em terceiro, Volkswagen em quarto e Iveco em quinto. Um destaque: três Iveco entre os 10 primeiros. Após três corridas, Felipe Giaffone se mantém na liderança do campeonato, com 129 pontos, contra 119 do segundo colocado, Diogo Pachenki (João Geraldo).

Resultado Final:

1º Wellington Cirino (Mercedes-Benz)

2º  Diogo Pachenki (Mercedes-Benz)

3º  Djalma Fogaça  (Ford)

4º  Débora Rodrigues (Volkswagen)

5º Luiz Lopes (Iveco)

6º Alex Fabiano (Volvo)

7º David Muffato (MAN)

8º Jaidson Zini (Iveco)

9º Joel Mendes (Ford)

10º Beto Monteiro (Iveco)

11º André Marques (Volkswagen)

12º Felipe Giaffone (Volkswagen)

13º Adalberto Jardim (Volkswagen)

Assista ao vídeo da corrida