Estimativa aponta redução média de 7% no valor cobrado

Depois de um 2013 tumultuado, com a chegada de milhares de caminhões sem nenhum controle que parara as estradas de acesso ao maior porto da América Latina, em 2014 não foram registrados problemas significativos na chegada ao Porto de Santos.

Dados da SEP (Secretaria Especial de Portos) apontam que, mesmo com um volume maior de carga transportada, o tempo de espera dos caminhões diminuiu. Em março de 2013, os veículos chegavam a perder 10 horas no pátio aguardando para descarregar. Já neste ano, o tempo médio ficou em 6 horas e 20 minutos, caindo ainda mais em abril – quando a média de espera foi de 5 horas e 50 minutos.

Isso fez com que o preço do frete para produtores do Mato Grosso caísse 7%, em média, segundo o Imea (Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária). Conforme o levantamento do instituto, em março do ano passado o transporte da soja da cidade de Sorriso/MT, um dos principais produtores do País, a Santos chegou a atingir a cifra de R$ 320 na tabela. Neste ano, no entanto, o preço ficou em R$ 300. Mas as negociações, em geral, reduzem esse valor ainda mais, de acordo com o estudo.

Os números apresentados pela SEP apontam que, em 2014, a quantidade de grãos movimentada por Santos alcançou 12,4 milhões de toneladas no primeiro quadrimestre do ano, um crescimento de quase 1% em relação ao ano anterior. Em compensação, o número de caminhões usados caiu aproximadamente 10% na comparação entre os quadrimestres. Isso deve-se, principalmente, ao uso de equipamento de maior capacidade.

Da Folha de S.Paulo / Foto: Pref. de Cubatão-2013