A Fras-le, baseada em práticas de sustentabilidade e responsabilidade social inserida em sua política ambiental, desde 2005 passou a utilizar embalagens de produtos constituídas em parte de papel reciclado. Desta maneira, as caixas em papelão pardo utilizadas pela empresa são compostas em 89% de papel reciclado e 11% kraft (virgem) e as bandejas em papelão branco possuem 76% de reciclado e 24% kraft. As etiquetas de lonas utilizam papel-cartão duplex composto por aproximadamente 90% de fibras recicladas. A companhia destaca que as ações ambientais nesta área visam valorizar os recursos naturais e a preservação do meio ambiente, a responsabilidade com o planeta e com toda a cadeia produtiva.

Para isso, a empresa possui fornecedores de embalagens ecologicamente corretas, como a Trombini, que instalou sistemas de medição de vazão nos setores produtivos e conseguiu reduzir 70 m³/dia no consumo de água e através do reuso, diminuiu em 65% o consumo de água potável. Essa empresa explica que seus investimentos em inovação tecnológica contribuíram para a redução dos índices de refugo (geração de resíduos) em 15% e na área de tratamento de efluentes reduziu 30% a geração de lodo. Além disso, passou a utilizar gás natural na caldeira, que reduziu em quatro vezes as emissões atmosféricas. Tais medidas levaram a empresa buscar a certificação ambiental.

Outra fornecedora, a Cartonagem Dal Picoli, já recicla 100% dos resíduos de papelão. Nos últimos dois anos reduziu em 20% o consumo de energia elétrica e recentemente plantou 300 mudas de árvores nativas no terreno de sua fábrica. A Brazicolor Indústria Gráfica Ltda, por sua vez, que fornece etiquetas, conquistou o Prêmio Gráfica Verde, devido desenvolver o gerenciamento ambiental visando a preservação do meio ambiente e adequação de empresas à legislação. Em 2001, implantou a Estação de Tratamento de Efluentes com capacidade de 800 litros por dia e ainda reutiliza materiais como tintas e lixo através da separação de resíduos. Para os produtos Fras-le, foi feito uma adaptação no formato das pontas das etiquetas, a qual diminuiu a geração de resíduos em 7%.