O G-8 (grupo dos sete países mais ricos do mundo mais a Rússia) não menciona a proposta do fundo mundial contra a fome, apresentada pelo presidente Lula, durante a reunião realizada no domingo (01/06), em Evian, na França. O presidente brasileiro propôs uma taxação do comércio internacional de armas para financiar um fundo de combate a fome e a criação de condições para acabar com as causas estruturais da fome. A outra fonte de renda para o fundo seria parte dos juros pagos aos países ricos por nações endividadas. A proposta recebeu apoio do presidente da França, Jacques Chirac. O G-8 reconhece o problema e promete atender as necessidades urgentes, mas não detalha como isso será feito. A maior parte do texto ressalta a situação econômica mundial, o terrorismo e o conflito no Oriente Médio.