A General Motors, instalada em Gravataí, na região metropolitana de Porto Alegre/RS, abriu concorrência para a contratação de novas empresas de logística para o transporte de veículos produzidos naquela unidade. A medida, anunciada de forma inédita, através de avisos em jornais, atende também a uma decisão da Justiça do Rio Grande do Sul, estabelecendo que a empresa adote serviços de transportadores locais, reivindicação que vem sendo feita por cegonheiros gaúchos, desde a inauguração da montadora, em julho de 2000. A disputa envolve o transporte de aproximadamente 1,2 mil carros por dia, dos quais cerca de 470 são produzidos no Sul do País. A juíza da 11° Vara Federal de Porto Alegre, Daniela Pertile, determinou a contratação de cegonheiros sem vínculos com a ANTV (Associação Nacional das Empresas Transportadoras de Veículos) e do Sindicato Nacional dos Cegonheiros. Empresas filiadas às duas entidades, a maioria de São Paulo, detêm os serviços de transporte de veículos no País. A GM tinha prazo até o final da semana para iniciar o processo de contratação. A multa diária pelo descumprimento da medida seria de R$ 5 mil.