Dados da Secretaria Estadual dos Transportes mostram redução no número de acidentes nas rodovias paulistas no ano passado, conquistada  principalmente pela implementação de ações de fiscalização e obras de melhorias

Fiscalizações preventivas com aumento de efetivo de policiais, radares, maior consciência das pessoas em relação ao trânsito e benfeitorias nas estradas são fatores determinantes para se reduzir acidentes em rodovias. De acordo com a Secretaria de Estado dos Transportes, houve uma queda de 1,8% no número de acidentes nas rodovias paulistas em 2006, época em que ocorreram 70.603 acidentes, contra 71.876 no ano anterior. Com relação à mortes, a diminuição foi ainda maior, da ordem de 6,1%. Em 2006, os acidentes acarretaram 2.191 óbitos, contra 2.333 contabilizados em 2005.

Para o órgão estadual, a redução desses números deve-se a um conjunto de ações realizados nas rodovias paulistas, como obras de melhorias de pavimentação, construção de faixas adicionais, construção de passarelas, melhorias em pontos críticos como em rotatórias, reforços de sinalizações, equipamentos de controle de velocidade, campanhas educativas de trânsito e implantação de novas Unidades Básicas de Atendimento.

Com relação às campanhas educativas de trânsito, o DER – Departamento de Estradas de Rodagem realiza ações relacionadas à manutenção do veículo, regras de trânsito, roteiros de viagens, precauções e dicas de segurança. Os temas das campanhas são definidos após análise das principais causas de acidentes na malha rodoviária e o material utilizado são cartões postais, folhetos, cartazes, brindes e faixas. A distribuição é feita nas praças de pedágio, nos atendimentos nas rodovias e nos postos de informações do DER. Os usuários também recebem orientações de segurança em painéis eletrônicos de mensagens variáveis fixos e móveis ao longo das rodovias paulistas.

No caso da Polícia Rodoviária Federal com atuação no Estado de São Paulo, os reforços nas fiscalizações foram efetuados por meio do aumento de efetivo de policiais, principalmente nos feriados prolongados, assim como o auxílio de radares móveis de fiscalização, os quais colaboram na diminuição dos casos de excesso de velocidade e, consequentemente, na redução de acidentes.

O superintendente da Polícia Rodoviária Federal no Estado de São Paulo, João Bosco Ribeiro, explica que no decorrer do ano passado a corporação realizou trabalhos de educação de trânsito ao longo das rodovias federais, em escolas e em empresas de ônibus, os quais repercutiram diretamente em mais atenção e consciência dos motoristas em relação ao trânsito. \”Através desse trabalho educacional conseguimos reduzir o número de mortes nas rodovias federais em cerca de 20%\”, disse o inspetor.

Entre outras atribuições, a Polícia Rodoviária Federal é responsável pelo patrulhamento e fiscalização ostensiva de veículos e motoristas que trafegam em rodovias federais, pela realização de perícias, aplicação de multas, boletins de ocorrências e investigações. No Estado paulista, a PRF cuida de 1.116 km de rodovias, divididos entre a Régis Bittencourt (BR-116 SP/PR), Presidente Dutra (BR-116 SP/RJ), Fernão Dias (BR-381), Transbrasiliana (BR-153), além de pequenos trechos de rodovias como a Hélio Smidt, em Guarulhos, e outros dois em Aparecida e em Lorena, no Vale do Paraíba.

A Secretaria de Estado dos Transportes de São Paulo, por sua vez, é responsável pela coordenação dos meios de transporte de responsabilidade do Estado e tem a missão de desenvolver um sistema de transporte seguro,  rápido, econômico e integrado. Esse órgão foi criado em 1963 devido ao crescimento do setor automobilístico paulista, que exigiu uma rede de rodovias mais sofisticada para suportar o aumento do fluxo de veículos. Tem sob sua tutela o DER (Departamento de Estradas de Rodagem), o Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (DAESP), o Departamento Hidroviário (DH), a Dersa Desenvolvimento Rodoviário S/A e a Artesp – Agência Reguladora de Transporte do Estado de São Paulo.

Por Magno Pereira