Malagrine

Com as novas normas do VUC implantadas recentemente – que permitem maior comprimento total do veículo, até 7,20 metros, aumentando a capacidade de transporte para empresas e autônomos – a Mercedes-Benz ampliou a sua linha de caminhões Accelo que podem circular nas áreas de restrição. O vice-presidente de vendas marketing & peças e serviços caminhões e ônibus, Roberto Leoncini, explica que a empresa está preparada para atender a legislação com 11 modelos entre caminhões e comerciais leves.

Accelo 1016
Accelo 1016

“Oferecemos aos clientes um completo leque de produtos, nos leves Accelo 815 e 1016, e agora com o novo médio 1316 6×2, todos podendo atender o novo VUC”, afirmou. Ainda de acordo com o executivo, a nova legislação VUC de São Paulo poderá estimular maior movimentação de negócios para a marca nos segmentos de leves e médios.

Com o Accelo 1316 6×2, lançado em outubro do ano passado, a Mercedes-Benz alcançou entre os meses de janeiro e maio deste ano, 30% de Market share no segmento de médios, 7 pontos percentuais a mais em relação a 2015. “Já no segmento de leves, com o Accelo 815 e 1016, crescemos 4 pontos percentuais no mesmo período, superando 31% de market share”, destacou Leoncini.

Os caminhões Mercedes-Benz da linha Accelo também se destacam no mercado por contribuir para a melhoria da mobilidade urbana, demanda cada vez mais crescente na cidade de São Paulo, como em quaisquer metrópoles ou cidades de porte grande ou médio, caracterizadas por tráfego intenso e dificuldade de acesso a zonas de restrição.

Accelo 815
Accelo 815

Com peso bruto total – PBT de 8.300 kg, o Accelo 815 oferece até 5.010 kg de carga útil com equipamento. Já o Accelo 1016, com PBT de 9.600 kg, assegura a maior capacidade de carga útil com equipamento da categoria, até 6.280 kg. São cerca de 400 kg a mais que os modelos concorrentes mais próximos. “O Accelo pode substituir até cinco veículos nas operações de transporte”, ou seja, faz menos viagens para a mesma quantidade de carga, com maior economia operacional, aumentando a produtividade e a rentabilidade para o cliente. Isso também significa menos veículos nas vias e menor volume de emissões, o que traz melhoria para a qualidade do ar e preserva o meio ambiente”, destaca Leoncini.

De acordo com a fabricante, com 3º eixo de fábrica, o PBT do Accelo 1316 6×2 chega a 13.000 kg, com até 8.720 kg de carga útil com equipamento. Isso maximiza a capacidade de carga do caminhão, apresentando assim novas soluções para o transporte, como por exemplo: bebidas (6 pallets), gás, líquidos e combustíveis, báscula de 5m³ para materiais de construção, entre outras aplicações.

O motor é o Mercedes-Benz OM 924 LA utilizado nos modelos semipesados Atego de 17 toneladas.  Com 156 cv de potência a 2.200 rpm, o OM 924 LA oferece torque de 580 Nm (Accelo 815) e de 610 Nm (Accelo 1016 e 1316) entre 1.200 a 1.600 rpm.

Sprinter e Vito

Para atender o transporte urbano a Mercedes-Benz oferece também os veículos comerciais leves Sprinter (PBT de 3.500 a 5.000 kg) e Vito (PBT de 3.050 kg).

Chassi 515
Chassi 515

Na linha Sprinter destacam-se o furgão e o chassi 311 CDI Street, que podem circular livremente nas grandes cidades, por ser classificado como caminhonete, respeitando apenas o rodízio de placas. Os modelos podem ser dirigidos por motoristas com carteira de habilitação da categoria ‘B’. Além disso, a oferta da marca inclui os furgões e chassis 415 CDI e 515 CDI, que contam com versões VUC para maiores capacidades de carga, ampliando notavelmente as opções de escolha para os clientes. Já o furgão Vito 111 CDI tem a mesma classificação da Sprinter Street, e tem a permissão para circular livremente em áreas urbanas por motoristas com carteira de habilitação da categoria ‘B’. Os furgões Sprinter têm capacidades que vão de 7,5 a 14 metros cúbicos na versão VUC. No chassi Sprinter, o volume de um baú chegar até 22 metros cúbicos com a nova legislação VUC.