caminhão na estradaTodo motorista já sabe que hoje em dia ter um cadastro impecável junto as seguradoras, não estar inscrito no SPC Serasa e nem ter um registro em ocorrência policial e estar com as contas em dia, são algumas das exigências dos embarcadores no momento de negociar um frete. Deslizes como cheque devolvido, contas atrasadas, passagem pela polícia pode significar perder o crédito junto as seguradoras de cargas e ficar com o caminhão parado sem faturar.

Entre os dias 28 de setembro e 28 de outubro, o Portal O Carreteiro promoveu enquete para saber a opinião dos motoristas em relação a essa situação, na qual o profissional precisa trabalhar porém não consegue carga por estar com alguma pendência no cadastro de empresas seguradoras de risco.

Do total de 196 participantes, 54% (106 votos) acreditam que bloquear o motorista é  uma atitude correta, pois as empresas e seguradoras têm de ter a garantia de estar entregando a carga para um profissional idôneo; já 35% (69 votos) dizem ser injusto, pois o motorista, assim como qualquer outro cidadão, está sujeito a passar por fases difíceis e não conseguir honrar as suas contas e, por fim, 11% (21 votos) opinaram que as empresas estão corretas, porém deveriam analisar isoladamente cada caso, enquanto as seguradoras, por sua vez, deveriam oferecer  alternativas para ajudar o motorista a limpar o nome.

A GPS Pamcary, corretora de seguros especializada no transporte de cargas, acredita que na falta à maioria dos motoristas uma simples atualização cadastral, cuja inesistência realmente impede que a gerenciadora faça o enquadramento desse profissional ao perfil necessário ao embarque. O cadastro é renovado a cada 12 meses, sempre com autorização do  motorista, porém, enquanto os dados permanecerem em sistema são atualizados através de informações fornecidas pelo próprio carreteiro e também pelo cruzamento de informações de viagens, com a finalidade estar sempre enquadrando o motorista no perfil mais adequado.

A Pamcary disponibiliza algumas ações para ajudar os carreteiros nestas questões, entre elas a Central Exclusiva para orientar os motoristas em questões burocráticas e ajudar na agilização de seus carregamento; equipe itinerante Telerisco que vai até o carreteiro para orientá-lo. Além disso, a empresa participa de Câmara de Mediação e Conciliação, criada em outubro de 2010.   Outras entidades como o Sindicam/SP, Gistec, Brasil Risk, Buonny Gerenciamento, GV Gestão e Apisul, também fazem parte da Câmara. E de acordo com a Pamcary, nos últimos quatro anos foram realizados 2.058 atendimentos a motoristas em vários Estados do Brasil.

  • Anderson Gama

    to parado por nao conseguir cadatros nas seguradoras q presiso faser