O estacionamento do pátio da Basílica de Aparecida já está lotado de caminhões, de motoristas e familiares que participam da 35ª Feira do Carreteiro. A maioria dos carreteiros acampados  afirma que reservam as dias do evento para descansar e curtir com a família e amigos em um ambiente, avaliados por eles, como seguro e com infraestrutura completa.     É o caso de João Luiz Fernandes, 47 anos, 20 de profissão, de São Lourenço/MG, autônomo, que chegou na quarta-feira (16/07) com esposa, filhos, genro, nora, netos em um total de 20 pessoas. O caminhão veio equipado com cozinha, fogão, geladeira, colchão, para que todos passassem bem e confortavelmente os três dias. “É um momento que posso descansar e curtir ao lado de pessoas que amo. Além disso, aproveito para conhecer as novidades e aprender. Participei de várias palestras sobre economia de combustível, legislação, manutenção, enquanto isso a família se divertia coma as outras atividades”, explica.
Há 40 anos na estrada, o autônomo Roberto da Silva Albuquerque, de 63 anos, de São Roque/SP, participa há 10 anos da Feira do Carreteiro e afirma ser um período que separa para poder se distrair, aprender e ficar ao lado da família e amigos. “É uma oportunidade única para o motorista poder fazer coisas que no dia a dia não tem tempo. Eu mesmo aproveitei para fazer um check up na saúde com exames de diabetes, pressão alta”, conta. O filho Rudinei Roberto Albuquerque, 37 anos de idade, 18 na profissão concorda com o pai e complementa dizendo que na Feira é um dos únicos locais que o motorista realmente é tratado com respeito. “Eu aproveito para poder me atualizar  e confraternizar com os colegas. Sem contar que a família toda curte. A minha filha adora brincar no salão da criança”.

O autônomo José Orlando de Carvalho, 59 anos de idade e 39 de profissão, de Cana Verde/MG é outro bom exemplo de motorista que fica de olho nos dias da Feira para poder viajar com a família, descansar e se divertir. Pai da pequena Maria Eliza, de 4 anos, que adora a Feira do Carreteiro, principalmente as atividades do Salão da Criança, José diz que durante o evento aproveita para relaxar, se divertir e se informar das principais novidades. “Participo de todas as palestras que tenho oportunidade. Aprendo muitas coisas, umas eu utilizo no meu dia a dia e outras eu repasso para o meu filho Micael, de 28 anos, que também é motorista”, explica. A esposa Andreisa Freire, concorda com o marido e diz que aprovou o espaço da mulher criado este ano para atender as mulheres que participam do evento. “Agora a festa está completa tem diversão para todo mundo”, diz animada.
Em uma turma de mais de 50 pessoas, todos da cidade de Toledo Minas Gerias, o autônomo Edson Vaz da Silva, 49 anos de idade e 30 de profissão, garante que há quatro anos já virou tradição, viajar com a família e amigos em julho, para Aparecida, e participar da Feira do Carreteiro. “Isso aqui é muito bom. Poder confraternizar com os amigos, proporcionar momentos de lazer para a família toda, se divertir e se informar. O que adiante ir pescar se a mulher não se diverte. Por isso optamos sempre em participar da Feira pois aqui tem atração para todo mundo”, afirma. Outro ponto destacado por Edson é o respeito com que os motoristas são tratados no evento. “Na estrada, no dia a dia, somos tratados de qualquer jeito. Aqui as coisas são diferentes, temos infraestrutura e respeito”, compara.