Lançado em 1999, o caminhão Volvo NH \’bicudo\’ deixará de ser produzido no Brasil até o final deste ano. A fábrica brasileira da Volvo, localizada no Paraná, foi a única no mundo a montar o modelo e abasteceu as Américas do Sul e Central, Europa, Ásia, Oriente Médico e África. Os NH, por exemplo, podem ser encontrados transportando combustíveis no Oriente Médio, carga geral na Suécia, alimentos em Angola, materiais de construção em Cuba, além de outros países da América Latina.

Para estabelecer o tamanho das composições que podem rodar nas rodovias brasileiras, as leis nacionais levam em consideração o comprimento do cavalo mecânico mais o semi-reboque e estabelece o comprimento máximo de 18,15m para carretas de três eixos e 19,8m para bitrens. O NH vinha tendo sua produção diminuída gradativamente, devido a uma importante mudança de perfil nas frotas de transportadores brasileiros e passaram a preferir o modelo frontal FH, que permite uma plataforma de carga maior sem ferir os limites determinados por lei.

\”O transportador brasileiro está se profissionalizando para aumentar a capacidade de carga de sua frota, num mercado cada vez mais competitivo, e a preferência pelo modelo FH está diretamente ligada à mudança de perfil da carga transportada no Brasil, que na última década vem ganhando uma crescente configuração industrial\”, explica Sérgio Gomes, gerente de planejamento estratégico da Volvo no Brasil.