No início da década de 1970, a Ford já enfatizava ao mercado a força e durabilidade de seus caminhões, com destaque para os modelos F-350, F-600 e  cavalo-mecânico F-750. O F-600 era disponível também na versão com motor diesel e esta opção tinha o preço mais baixo em aproximadamente 10 mil cruzeiros em relação a modelos diesel de outras marcas, dizia o anúncio.

Publicidade da montadora na edição de O Carreteiro de julho de 1973, por exemplo, enaltecia as qualidades citadas dos produtos e reforçava ainda a economia obtida  na aquisição da versão equipada com motor ciclo diesel, classificado pela montadora como de maior potência em relação a outros caminhões maior valor.

O anúncio destacava diversos detalhes técnicos do veículo, tais como a dupla redução de engate elétrico no eixo traseiro (citado como como um item relacionado à durabilidade do motor); chassi “superdimensionado” e como sendo o  único caminhão do mercado, à época, com quatro opções de entre-eixos, quatro balanços traseiros e também o único projetado para receber 11 toneladas de PBT.

Também era motivo de destaque o terceiro eixo (sem necessidade de adaptações), além de outras informações como, por exemplo, sobre a possibilidade de o veículo oferecer até 130 opções de equipamentos, entre os quais carroçaria canavieira, baú com 3º eixo, basculante, carga seca etc.

No quesito de conforto, a peça publicitária informava que na cabine do Ford F-600 diesel havia muito conforto, espaço e isolamento termo-acústico no assoalho, painel e nas portas. Dizia também que o motorista não precisava dividir espaço com o motor, “pois  o engenho ficava  do lado de fora do caminhão, assim como os gases, ruídos e o calor por ele produzidos” (JG).

DO F-600 AO FORD CARGO

O primeiro caminhão lançado pela Ford no Brasil foi o F-600, em agosto de 1957 e tinha  40% de conteúdo nacional. O motor  que o equipava era um  Perkins V8 a gasolina com 4,5 litros, 167cv de potência. Já o primeiro F-600 diesel chegou ao mercado em 1961. No ano seguinte, a montadora lançou, a linha Super Ford, com cabine inteiramente nova e mais confortável, além da novidade dos pedais de freio e de embreagem suspensos.

O próximo grande lançamento aconteceu em 1971, quando a empresa lançou uma nova linha de caminhões durante convenção dos distribuidores Ford de todo o Brasil. Os modelos F-100 e F-350 traziam como novidade a suspensão dianteira Twin-I-Beam (sistema que permite um lado trabalhar independente do outro). O F-750, por sua vez, recebeu direção hidráulica e freio a ar.

Em 1975 chegaram F-7000, o FT-7000 (com 3º eixo) e o cavalo-mecânico F-8500 , modelo para 30,5 toneladas de PBTC. Com eles vieram também o F-400 e o F-4000 com motor diesel.

A linha Cargo – resultado do projeto HL-3 que havia nascido em 1981 com a proposta de produzir caminhões médios e pesados capazes de competir internacionalmente, com alta tecnologia e muita durabilidade – foi lançada em 1985, Em 1987 a Ford se uniu à Volkswagen para formar a Autolatina, parceria que acabou desfeita em 1995(JG).