A Universidade de São Paulo (USP), por meio do Cenbio (Centro Nacional de Referência em Biomassa), órgão do Instituto de Eletrotécnica e Energia (IEE), apresentou há poucos dias em São Paulo um ônibus Scania movido a etanol, que vai circular pela Grande São Paulo, a partir de dezembro. A ação é parte do projeto BEST (BioEthanol for Sustainable Transport) e pretende demonstrar durante um ano a viabilidade da operação desse veículo no corredor Jabaquara – São Matheus, com parada em nove terminais e atendimento aos municípios de São Paulo, Diadema, São Bernardo do Campo e Santo André.

De iniciativa da prefeitura de Estocolmo, na Suécia, e apoiado pela União Européia, o projeto visa sensibilizar o mundo sobre a importância do uso do etanol no transporte público. Segundo o Cembio, o ônibus é capaz de reduzir em até 90% a emissão de material particulado e 80% dos gases responsáveis pelo aquecimento global.

O ônibus Scania vem equipado com motor DC9 E02 de 5 cilindros e 270 cavalos de potência. Inclui injeção eletrônica que atende as rígidas especificações EURO 5 e EEV (Enhanced Environmentally Friendly Vehicles), normas que serão obrigatórias na União Européia a partir de 2009. Como resultado da operação de ônibus a álcool em Estocolmo nos últimos quinze anos, cerca de 140 mil toneladas de dióxido de carbono (CO2) deixaram de ser emitidas na atmosfera. Anualmente, a redução de emissão de CO2 desses ônibus equivale ao emitido por cinco mil carros de passeio. Em São Paulo, segundo informações da Unica, a substituição de mil ônibus movidos a diesel por veículos similares movidos a etanol eliminaria a emissão de 96 mil toneladas de CO2.

O Brasil é primeiro país das Américas a ter ônibus movido a etanol em circulação pelo projeto BEST. Além dessa cidade participam do programa Estocolmo (Suécia), Madri e País Basco (Espanha), Roterdam (Holanda), La Spezia (Itália), Somerset (Inglaterra), Nanyang (China) e Dublin (Irlanda).