O empresário Luiz Loucatelli é daquelas pessoas fascinadas por caminhões. A paixão por veículos pesados começou desde cedo, em 1963, quando tinha apenas 11 anos e decidiu largar o trabalho na roça, em Nova Esperança/SP, e vir para a capital do Estado trabalhar como ajudante de mecânico na oficina de seu irmão. Assim que completou 18 anos, em 1970, tirou a primeira habilitação e comprou um Chevrolet C60 seminovo, ano 1968, azul, carroceria de madeira, e começou a trabalhar como autônomo no transporte de areia e tijolo. Em cinco anos, aumentou a frota e já tinha três funcionários para auxiliá-lo no trabalho.

Integrante de uma série especial Harley-Davidson, o International LoneStar foi batizado de Harley 251, porque teve os componentes montados no Brasil

A receita de negócio foi dando certo, e, em 1980, deu um importante passo na sua vida ao fundar a empresa Cortesia Concreto, que atua no mercado de fornecimento de concreto usinado. Atualmente, com sede na Vila Guilherme, São Paulo/SP, a empresa conta com mais de 500 caminhões na frota, 800 funcionários e cinco unidades espalhadas dentro do Estado de São Paulo (Jaguaré, Barueri, Santos, Caçapava e Atibaia).

A paixão de Loucatelli pelos veículos pesados não se limitou apenas à profissão de motorista e de empresário do setor de transporte rodoviário de carga. Em 1999, ele conseguiu localizar e comprar o GM C-60 que tinha sido seu segundo caminhão, no início de sua carreira como motorista.  De volta às suas mãos, o Chevrolet foi restaurado totalmente, a começar pelo chassi, conforme conta.  Desde então, Luizinho, como é conhecido entre os amigos, passou a frequentar eventos de veículos antigos.

Fabricado em 1980 nos Estados Unidos, o Peterbilt desembarcou no Brasil em 2009 com o chassi corroído e motor e caixa de câmbio precisando de retífica

Em um desses encontros conheceu o também empresário Antônio Sérgio Hurtado, o Neo, colecionador de veículos antigos. “Fizemos vários passeios juntos. Eu com o meu GM C60 e ele com o seu “boca de sapo”, conta. Alguns anos depois, o amigo o convenceu a importar dos Estados Unidos um Peterbilt 359, ano 1980, motor Caterpillar V8 de, 18 litros e 600 cv. Foi quase um mês de espera, e quando chegou no Brasil estava com o chassi todo corroído e com necessidade de retífica, tanto no motor quanto na caixa de câmbio.

Luiz Loucatelli participa de vários eventos com seus caminhões. Em novembro ele esteve na Fenatran, com seu Peterbilt no estande da Revista O Carreteiro/Pé na Estrada

Luizinho lembra que foi necessário refazer toda a pintura, painel, chassi e tapeçaria. A forração do teto ganhou led – foram mais de 700 metros de fitas, caixas de som e foram instaladas luzes em todo contorno da carroceria. Resultado: desde então, o Peterbilt chama a atenção por onde passa. É utilizado como veículo de passeio pela família e também como atração em eventos, como aconteceu na Festa de aniversários de 10 anos do Programa Pé na Estrada e também no estande na Revista O Carreteiro durante a Fenatran deste ano. “Na verdade, dirigir esse caminhão tira todo o estresse que tenho com caminhão no dia a dia do trabalho”, brinca.

Sua mais recente aquisição, em 2014, é um International LoneStar, motor ISX-Cummins de 15 litros e 600cv de potência. Comprou em janeiro de 2014 e o veículo chegou em dezembro. O caminhão faz parte de uma série especial Harley-Davidson, feito apenas sob encomenda, limitada a 250 unidades. “A fábrica me enviou o caminhão apenas com a pintura personalizada. Aos poucos comprei o kit da Harley e instalei no meu caminhão, que batizei de Harley 251, o único no Brasil”, orgulha-se.

Por Daniela Giopato