Todos os anos os motoristas de caminhão e familiares se organizam para participar da Feira do Carreteiro. Eles carregarem seu caminhão com cama, televisão, fogão, geladeira e mantimentos e acampam no evento durante os três dias. Segundo eles é uma oportunidade para tirar umas férias com a família e amigos e ainda voltar para a estrada atualizado e com dicas para tornar mais rentável o seu negócio.

José Orlando de Carvalho, 62 anos de idade e 40 de profissão, é de Cana Verde/MG. Apesar de já ter viajado pelo Brasil inteiro, atualmente atua apenas no interior de São Paulo e Minas Gerais. Participa da Feira há três anos e para ele desde a hora que sai de casa junto com a família, a esposa Adreise Freire e a filha Maria Elisa, já é um momento feliz.

“Esse ano mesmo sem conseguir carga viemos. A minha filha adora e me pede todos os anos. Minha esposa também curte muito participar do evento. No meu caso, além de passar esses dias ao lado da minha família, ainda posso me atualizar nas palestras e estandes, conhecer as novidades dos caminhões, que estão cada vez mais modernos e ainda confraternizar com os colegas da estrada, coisa rara esses dias”, declarou.

Há 57 anos na estrada e com 76 de idade, Armando Carnevali, é autônomo, da cidade de Mogi Mirim/SP, e vem na Feira desde Julho de 1981. Sempre acompanhado da esposa Madalena Carvaneli, casados há 40 anos, considera esse momento único para se divertir, compartilhar conhecimento e diversão com amigos, e aprender um pouco mais sobre a profissão e o dia a dia da estrada.

“A melhor coisa do mundo é o caminhão. Poder estar em um ambiente com amigos e caminhões modernos e ainda receber informações uteis para a minha profissão é maravilhoso. Afinal nunca é tarde para aprender”. A esposa concorda e complementa dizendo que a Feira é um dos poucos lugares que os motoristas são bem tratados. “Adoramos a estrutura da Sala do Motorista , com transporte gratuito para nos levar até lá, e o café da manhã gratuito”, destacou.

Armando Carnavali e esposa

Carnevali é um desses motoristas apaixonados pela profissão. Otimista e de bem com a vida dirige um MB 1113 há 37 anos. “Adoro o meu caminhão só largo dele quando bater as botas”, diz sorrindo.

Os irmãos Hélio Vieira Rodrigues, 38 anos de idade e 15 de profissão e Elcio Vieira Rodrigues, 33 anos de idade e 15 de profissão, ambos de Itanandú/MG, curtem a Feira a muitos anos e foram um dos primeiros a chegar no pátio. “A recepção de toda a equipe e a infraestrutura são acolhedoras. Nos sentimos em casa e muito valorizados, coisa difícil de se ver no nosso dia a dia. Adoro participar de tudo, em especial das palestras pois sempre tenho algo a aprender e testar os novos caminhões”, disse Hélio.

Hélio Vieira , Élcio Vieira e família

Élcio participou pela primeira vez da Feira quando tinha três anos de idade. Ele veio com o pai José Rodrigues, hoje com 62 anos .  Eles viajaram em um Chevrolet D60, ano 73, e agora ele volta na Feira dirigindo o mesmo veículo. “Sempre gostei de participar. É um momento único de estar com a família, amigos, compartilhar ideias, jogar conversa fora e ainda sair bastante informado e com ideias novas. Somos muito bem recebidos aqui e nos sentimos importantes. A fé desse local também é um ponto forte.”, afirmou.

Em uma turma de cerca de 20 pessoas, os carreteiros Anderson Francisco de Souza, 29 anos de idade e 8 de profissão, o pai José Francisco de Souza, 62 anos e 42 de profissão, Luiz Carlos, 32 anos e três de profissão, de Cruzilia/MG e Jacir Mendes Andrade, 62 anos de idade e 44 de profissão, de Alagoa/MG, estão aproveitando cada minuto da Feira do Carreteiro.

Anderson Franciso, Jair Mendes, José Franciso e Luiz Carlos e familia

“Sempre aprendo muito na Feira. Conheço de perto as tecnologias dos caminhões e curto um momento junto com amigos e família”, disse Anderson.

“Venho a Feira há 23 anos e aproveito esses dias para descansar, conhecer as novidades e as tecnologia dos caminhões que mudam rapidamente”, explicou Jacir.

“As palestras são o ponto forte da Feira, sempre descubro alguma coisa nova para aplicar no meu dia a dia. O truck test também é importante. Na edição de 2015 fizemos o test com um Atego, gostamos tanto que cinco anos depois compramos um para trabalhar”, contou José Fernandes.

“Esse é meu primeiro ano e estou gostando bastante de todas as atividades. Tem tudo para o motorista de caminhão”, declarou Luiz Carlos.