A indústria de caminhões terminou os cinco primeiros meses deste ano com a produção de 32.394 unidades, registrando um crescimento de 8,3% sobre os 29.912 veículos fabricados em igual período de 2002. As vendas no atacado no mercado doméstico de produtos nacionais e importados, por sua vez, caíram 2,7%. Foram comercializados 27.447 caminhões de janeiro a maio, contra 28.204 nos mesmos meses do ano passado. Os melhores resultados do período foram obtidos pela Scania, que vendeu 45% mais; a Agrale, 27,7%; Volkswagen 21,5% e Volvo 5,2%. A parte negativa ficou para a DaimlerChrysler, que fechou janeiro a maio com queda de 7,5% e a Ford perdeu 9,2%. A Iveco registrou uma queda de 55,5% porque, segundo Paulo Kramer, gerente de vendas da empresa, ela subestimou os reflexos da safra e ficou sem produtos para atender a demanda que surgiu nos primeiros meses do ano.