Os pneus possuem uma estrutura física de extrema resistência que funciona como um esqueleto. Essa estrutura tem de ter capacidade para suportar a carga e todos os esforços físicos às quais estão sujeitos. Durante seu uso, os pneus são submetidos a esforços físicos inimagináveis, bem como um espectro de temperatura muito grande, principalmente no território brasileiro, devido ao seu relevo e extensão.

Aqui temos baixas temperaturas na região Sul e altíssimas temperaturas em algumas regiões do Norte e Nordeste. E o mesmo pneu tem de entregar um desempenho satisfatório em qualquer região em que esteja trabalhando, seja ela qual for.

O pneu é composto de vários itens, cada um com uma função, sendo os principais listados abaixo:

Área dos Talões – Tem a função de ancorar o pneu à roda.

Laterais ou Flancos – Função de dar flexibilidade ao pneu, auxiliando no trabalho da suspensão e estabilidade do veículo.

Área dos Ombros – Faz a transição da área flexível da lateral com a área da banda de rodagem.

Banda de rodagem – Mantém o pneu em contato com o solo. Suas características definem o tipo de uso, se direcional, tração etc.

Unidas, todas essas partes formam um conjunto conciso de grande solicitação de trabalho. E quando essa estrutura sofre algum dano por penetração, a unidade dessa estrutura fica comprometida, mas pode ser recuperada.

Para trazer de volta a resistência e segurança da carcaça, podem ser feitos reparos, mas é necessário que estes obedeçam rígidos critérios determinados para essa finalidade. Existem materiais adequados para se fazer consertos que deixem a carcaça com a mesma resistência de um pneu novo, desde que sejam obedecidas as restrições e que seja utilizado materiais e técnicas recomendadas.

Isso porque as técnicas utilizadas também têm importância, pois um conserto bem feito depende de dois fatores: mão de obra especializada e material adequado para cada tipo de conserto.

Sugerimos que os consertos e reformas de carcaças sejam realizados por empresas idôneas, assistidas pelas companhias fabricantes de materiais para essa finalidade. Também é muito importante que essas reformadoras sejam homologadas por algum fabricante de materiais de reforma de pneus.

Bom trabalho e até o mês que vem.

Esse Boletim é de responsabilidade do Consultor na área Automotiva Pesada, Guilherme Junqueira Franco, que tem a formação TTS – Truck Tire Specialist (Especialista em Pneus de Caminhão). Dúvidas poderão ser tiradas diretamente pelo e-mail: drpneus@yahoo.com.br ou guijunqueirafranco@gmail.com