A apresentação de um cavalo mecânico para  tracionar o super rodotrem de 91 toneladas de PBTC e outro direcionado aos setores de cana e florestal, ampliam a  linha de caminhões pesados DAF para o segmento fora de estrada

Por João Geraldo

Os modelos off road têm protetor de radiador, sendo que o florestal conta também com protetor de cárter, e o canavieiro com redutor de poeira para proteção do motor

Aos poucos, a DAF está aumentando a oferta de produtos no mercado brasileiro. Os mais recentes lançamentos são três produtos destinados a diferentes segmentos, sendo um deles o CF85 6X4, com motor de 460cv, é o primeiro da marca destinado a operações off road, com foco no transporte cana e madeira,  um mercado estimado em 2000 unidades/ano.

As demais novidades são o XF105 4×2, com motor de 460cv, que chega ao mercado buscando, entre outros clientes, os transportadores de automóveis zero quilômetro (os cegonheiros), e o XF105 6X4, com motor de 520cv, preparado para tracionar composições de até 91 toneladas de PBTC. Todos os produtos começaram a ser comercializados durante a Fenatran.

Luis Gambim, diretor comercial da DAF Caminhões, afirmou que os novos modelos CF85 e XF105 superaram as expectativas dos clientes da marca durante o período de testes. Segundo ele, os veículos se sobressaíram pela performance, com alto torque e consumo de combustível abaixo da média. Com os novos produtos, o executivo estima alcançar num primeiro momento 10% de participação no segmento de caminhões pesados.

Os novos modelos são equipados com motor de 12,9 litros, seis cilindros em linha e caixa de transmissão automatizada de 16 velocidades fabricada pela ZF

Tanto o CF85 com potência de 460cv quanto o XF105 de 520cv são equipados com motor Paccar MX 13 de 12,9 litros, de seis cilindros em linha e bloco de ferro fundido vermicular, produzido na fábrica de Ponta Grossa/PR. A caixa de transmissão é ZF ASTronic automatizada de 16 velocidades e embreagem. Os dois modelos contam com seletor Dual Driving com modos de condução on road e off road. O eixo fornecido pela Méritor tem redução nos cubos em relações de 4,55:1 ou 5,41:1.

Ricardo Coelho, diretor de desenvolvimento de produto da DAF Caminhões Brasil, conta que o chassi foi redesenhado e recebeu reforço para aplicações severas, com maior quantidade de carga. Os dois modelos off road têm proteção de radiador, sendo que o padrão florestal conta também com proteção do cárter de óleo e, no caso do padrão cana com redutor de nuvem de poeira para proteção do motor.  “Há possibilidade de os modelos saírem de fábrica equipados com reforço frontal para reboque, item mais comum em operação florestal”, acrescenta.

Ainda de acordo com Ricardo Coelho, a suspensão trapezoidal dos modelos off road, desenvolvida para 26 toneladas, chegando a 32, começou como um projeto local e acabou se tornando global, com ativa participação das equipes do Brasil e Holanda. Lembra ainda que o projeto dos modelos fora de estrada começou há mais de dois anos e já acumula mais de 300 mil quilômetros rodados em testes na própria operação.

Na configuração de eixos 4×2, o modelo XF 105 tem sido utilizado com tanque no transporte de produtos quimícos e operações com baú e sider

O CF85 off road é disponibilizado em três opções de cabine (Day Cab, com teto baixo; Sleeper Cab, com teto baixo e cama; e Space Cab, com cama e teto alto). “Space Cab é a mais alta do segmento, e tem como opcional o skylight, (faróis de teto, também no XF105) que proporcionam maior visibilidade durante operações noturnas. Outra cabine da DAF é a Comfort Cab (teto baixo e cama), disponível apenas na linha XF105 que, por sua vez, não oferece a Sleeper Cab.

Sobre o XF 105 4×2, o modelo é indicado para cegonhas, transporte de produtos químicos, baú e sider, Gambim disse que a performance do trem de força somada às características das cabines são elementos positivos para a boa aceitação dos veículos por parte dos clientes.

Já em relação aos modelos fora de estrada ele observa que a marca está entrando em um segmento com grande potencial comercial nivelado pela qualidade e pelo baixo custo operacional. “A qualidade dos nossos produtos mais o relacionamento com a rede de concessionários nos dá a convicção de que a linha off road será um sucesso”, finalizou.