SONY DSC

por Elizabete Vasconcelos

Embora o uso de cordas para amarração de cargas tenha caído nos últimos anos, devido ao uso de cintas para prender as mercadorias, a velha e boa corda ainda está presente no dia a dia de muitos motoristas de caminhão. E foi pensando nessa fatia de mercado que a Top Peças Indústria e Comércio de Peças Automotivas Ltda, empresa instalada em Caxias do Sul/RS, introduziu recentemente no mercado a “caixa de cordas”, um dispositivo que, segundo André Pissetti, responsável pelo departamento de criação de novos produtos, elimina os inconvenientes que os motoristas vivenciam diariamente e ainda permite que se ganhe tempo na hora de manusear a corda. Pela sua estimativa, aproximadamente 200 mil caminhões seriam clientes diretos e aptos para usar o produto.

O equipamento permite ao carreteiro enrolar e desenrolar uma quantidade grande de corda em poucos minutos. Utilizando uma corda de 8mm de espessura, é possível armazenar até 280m de corda; volume que pode ser manuseado em apenas 5 minutos. Além disso, uma trava possibilita que o motorista use apenas a metragem que precisa para fazer a amarração. “Sabemos que a corda nem seria um concorrente para a cinta, porque a simplicidade e a utilidade da cinta são maiores. No entanto, o uso da corda tende a se especializar, e esta fatia de mercado ainda é muito boa”, aposta Pissetti, acrescentando que cargas menores, irregulares, que necessitam de um enlonamento bem feito, exigem o uso da corda. Quanto à instalação, Pissetti destaca que ela pode ser feita em qualquer parte inferior da carroceria, entre as longarinas, por exemplo. No entanto, há outras opções de pontos de fixação que podem facilmente ser adaptadas em qualquer parte da carroceria. Ele acredita que a caixa de corda terá uma boa aceitação no mercado e adianta que em breve fará o lançamento da “Caixa de Cinta”, destinada ao armazenamento de cintas e de um “Enrolador de Cintas Portátil” – que pode ser instalada em qualquer parte da carroceria e enrolar as cintas. A caixa custa aproximadamente R$ 300,00 e vem sem a corda.

Para Pissetti, o produto facilita o uso do item de tal maneira que pode criar uma nova perspectiva para o uso da corda. “A simples presença de uma corda limpa e a facilidade para desenrolar, livre de nós e com a vantagem de poder se usar somente a quantidade que será necessária, fácil de desenrolar e sem pontas, favorece o uso e pode voltar a agradar muita gente”, conclui.