Embora os números de produção e vendas da DAF sejam ainda pequenos quando comparados aos de outros fabricantes de caminhões pesados,  a montadora  acredita no crescimento do mercado brasileiro de veículos de carga  e vê com otimismo a sua investida de ter contruido uma fábrica no País

Por João Geraldo

A DAF, marca holandesa de caminhões pertencente ao grupo norte-americano Paccar, vive boas expectativas em relação ao futuro do mercado brasileiro de caminhões. Há cinco anos na disputa pela preferência do transportador que utiliza caminhões com capacidade acima de 30 toneladas de PBTC, neste período a montadora chegou à marca de pouco mais de 2.000 mil unidades emplacadas das linhas XF e CF produzidas em sua fábrica no Paraná.

O otimismo se deve aos resultados que a marca vem obtendo como o retorno positivo em termos de desempenho e satisfação de quem tem comprado caminhão da marca, conquistados pelos produtos da marca no mercado brasileiro. Luis Gambim, diretor comercial da DAF do Brasil, exemplifica o momento da companhia ao afirmar que em agosto as vendas fecharam em 30% acima do mesmo mês em 2016.

Objetivo é chegar no ano de 2022 com 20 mil caminhões emplacados no Brasil, para manter a sustentabilidade da rede, diz Luis Gambim, diretor comercial da DAF

O diretor comercial da companhia adiciona que os clientes da marca respondem a constantes pesquisas, as quais têm apresentado crescimento contínuo da satisfação. Diz que com essa ferramenta é possível avaliar o processo de venda do caminhão, mapear toda a experiência da compra, a qualidade da entrega técnica do produto, o uso do caminhão, as primeiras impressões do cliente e utilização do DAF Assistance.

“Ficamos em quarto lugar. Acima do esperado”, confessou. Embora a base de cálculo seja sobre um número baixo, outros fatores também têm contribuído para que a empresa siga confiante no negócio de veículos pesados no Brasil. Outro fato é que a fábrica já opera com a produção de seis caminhões por dia e, segundo Gambim, os planos são de terminar este ano com a linha de montagem entregando 10 unidades/dia.

Expectativa da empresa é terminar este ano com a montagem de 10 caminhões por dia

Gambim destaca que a empresa está se preparando para chegar em 2022 com 20 mil caminhões emplacados no Brasil para manter a sustentabilidade da rede de concessionários. Mas para atingir esse volume é preciso ampliar o portifólio de produtos e serviços e aprimorar o valor de revenda dos produtos empresa, embora ainda não haja volume suficiente de caminhões da marca para se criar esse mercado, conforme reconhece. O executivo não revelou quais as novidades que a empresa preparou para a Fenatran, mas um provável lançamento, já anunciado ano passado, é um caminhão fora-de-estrada para atender setores de cana, mineração, madeireiro e construção pesada, entre outros.

O diretor de desenvolvimento de concessionárias da DAF do Brasil, Adcley Souza, afirma que atualmente a rede conta com 21 unidades que cobrem 85% do território nacional. Segundo ele, os 13 Grupos que estão com a DAF já investiram R$ 200 milhões na rede DAF. “Estão sendo aplicados mais R$ 16 milhões em novas concessionárias e ampliação das existentes. São R$ 4 milhões do grupo Via Trucks na expansão da unidade de Contagem/MG, R$ 8 milhões do Caiobá Trucks tem novo prédio com maior estrutura de vendas e pós-vendas em Campo Grande/MS e uma nova concessionária em Uberlândia/MG, prevista para ser inaugurada neste mês de outubro.

O diretor da Paccar Parts, Carlos Tavares, destacou que as novas linhas de peças de reposição aumentaram o número de antendimento com itens da marca TRP

Os clientes da marca contam também com sete postos de atendimento e serviços, os quais serão ampliados para 10 até o final deste ano, com a inauguração de unidades em Duque de Caxias/RJ, Recife/PE e Ji-Paraná/RO. “Nossa meta é dobrar o número de unidades da rede e chegar em 45 unidades até o ano de 2022”, concluiu.

O primeiro diferencial da empresa é a política de garantia. Temos um baixo índice de atendimento, afirma Marlon Maues, gerente nacional de pós-vendas da DAF

A DAF tem feito a lição de casa com entrega técnica dos caminhões e soluções para que o cliente tenha maior dis­po­ni­bilidade do veículo. Todos os modelos têm garantia de dois anos. No primeiro ano é total e no segundo apenas para o trem de força, sem limite de quilometragem.

O gerente-nacional de pós-venda da empresa, Marlon Maues, afirma que o primeiro diferencial da companhia é a política de garantia. “Temos confi­ança na qualidade e robustez dos nossos produtos. Tanto é que temos o me­­­nor índice de casos de reparo em ga­rantia do segmento em que atuamos”, conclui.

Em cinco anos de atuação, a frota de caminhões DAF no País é de pouco mais de 2000

PEÇAS  DE  REPOSIÇÃO

A empresa tem investido também na linha de peças genuínas e TRP, sua linha multimarcas para o mercado de reposição. O diretor da Paccar Parts do Brasil, Carlos Tavares, disse que no primeiro semestre deste ano foram lançadas seis novas linhas de produto por meio da marca TRP e também mais três complementos de linha. “Isso possibilitou que mais caminhões sejam atendidos com as peças da marca”, disse o executivo acrescentado que estão previstas mais seis linhas de produtos e cinco ampliações de portifólio.

Tavares disse que a divisão investiu R$ 100 milhões no desenvolvimento de peças de reposição e sua linha multimarcas cresceu 300% este ano e espera crescer mais 200% em 2018. Ele destaca que a TRP já se diferencia com a garantia de um ano para peças e a partir da Fenatran 2017, a marca se tornará a única distribuidora de peças de reposição que oferece garantia de dois anos para turbos.

“Temos muita confiança no nosso produto em nossos produtos e queremos a mesma certeza por parte dos nossos clientes. Oferecemos ao mercado preços competitivos e alta qualidade, comprovada em laboratórios de testes e pela nossa engenharia”, finalizou.

CONTRATOS DE MANUTENÇÃO

A empresa conta com contratos de manutenção divididos em três categorias: o contrato DAF Multisuporte Óleo e Filtro contempla todas as trocas de filtros e lubrificantes do motor, transmissão e diferencial, já inclusa a mão de obra necessária. Outro é o DAF Multisuporte Preventivo que, além das trocas de óleo e filtros, inclui todas as manutenções preventivas recomendadas pela fábrica e o DAF Multisuporte Pleno, o mais completo que cobre também manutenções corretivas dos sistemas de freios, suspensão, eixos, chassi, motor, direção e sistemas elétrico e de direção.

  • Parece-me que estão seguindo a mesma filosofia que a Volvo implantou quando chegou ao Brasil, com forte atendimento no pós-venda e mantendo produtos atualizados. Tudo indica que devem se firmar como um dos líderes do segmento de pesados.