Depois de divulgar os caminhões autônomos da marca em operação na mineração e também na coleta  de lixo,  a Volvo apresentou no Brasil uma unidade do VM preparada para trabalhar no canavial com o mínimo de interferência do motorista. Antes de ser apresentado, o veículo rodou em testes por cerca de dois anos

Por João Geraldo

A maior parte dos motoristas de caminhão certamente já leram ou ouviram falar do caminhão autônomo, que anda sem necessariamente estar sob o comando de um condutor. Embora seja visto por muitos como um exterminador da profissão de carreteiro, especialistas dizemque o veículo autônomo deverá ter sempre um motorista presente na cabine, ao menos nos veículos que vão circular em ruas e estradas. Já nos casos de aplicações restritas, dentro de minas e canteiros de obras, entre outras, a previsão é que a tecnologia domine totalmente o veículo.

Se perguntado quando esta tecnologia vai chegar ao Brasil, a resposta é que ela já chegou. A primeira fabricante de caminhão a apresentá-la na prática no País é a Volvo, um VM preparado e testado em operação real no segmento sucroalcooleiro para o trabalho em canaviais. Após dois anos em testes nas lavouras da Usina Santa Terezinha, em Maringá/PR, o veículo neste estágio da autonomia está pronto para ser comercializado.

O vice-presidente de engenharia do Grupo Volvo na América Latina, Gilberto Ribas, explicou que o VM autônomo utiliza um sistema avançado desenvolvido a partir de tecnologias já disponíveis comercialmente no Grupo. No caso da aplicação no canavial, ele afirma que esta tecnologia reduz drasticamente as perdas por pisoteamento dos brotos de cana na plantação durante a colheita da cana-de-açúcar.

Operando no modo autônomo, o veículo trafega no canavial com precisão de 2,5cm sem passar sobre os brotos de cana

Dados apurados em pesquisas do setor sucroalcooleiro, indicam que atualmente no Brasil o pisoteamento reduz entre 5% e 10% da produtividade anual da cana-de-açúcar. Paulo Meneguetti, diretor financeiro do Grupo Usaçúcar, afirma que com esta tecnologia o caminhão autônomo na lavoura vai contribuir decisivamente para melhorar a produtividade na operação de transbordo de cana-de-açúcar. “O caminhão autônomo trafega automaticamente pelas lavouras com uma precisão de 2,5 centímetros na direção” acrescentou.

Um mapa digital do canavial inserido no computador de bordo do VM permite que as linhas da plantação sejam reconhecidas com precisão. Porém ainda é necessária a presença do motorista, que nesse caso conduz o veículo até o início da linha na lavoura. Num segundo momento, o condutor entra em ação para retirar o caminhão da plantação e fazer o transbordo para os veículos que levarão a carga para a usina de açúcar.

O VM dotado da tecnologia para a colheita mecanizada de cana-de-açúcar é um modelo 270 6X4 otimizado para operar em canaviais. Por conta dessa aplicação, o veículo sofreu várias modificações, sendo as mais visíveis os pneus maiores, aumento da altura das suspensões dianteira e da traseira. Entre outras mudanças se destinaram a proteger o catalisador, o injetor de ureia, as válvulas pneumáticas e a chave geral, além da vedação e realocação do radiador do ar condicionado.

O gerente do projeto de engenharia avançada, Robson Oliveira, explicou que essa tecnologia foi desenvolvida para atender a demanda do setor e garantir produtividade durante a colheita. “É uma tecnologia que resolve o problema de precisão, que é humanamente impossível de se conseguir, inclusive nas manobras de marcha à ré” acrescentou. A tecnologia apresentada pela Volvo no VM é inédita no Brasil.

Oliveira detalha que o sistema é composto por duas antenas GPS de alta precisão, por uma parte do sistema Volvo de esterçamento da direção, dois giroscópios de alta sensibilidade (que identificam detalhadamente a inclinação e o deslocamento do veículo, tanto da cabine quanto do chassi), além de um display dentro da cabine para funcionar como interface entre o motorista e o caminhão. De acordo com o técnico, trata-se de soluções extremamente inovadoras.

O sistema, segundo Robson Oliveira, utiliza também tecnologias empregadas em veículos da Volvo Construction Equipment e dispositivos da Volvo Penta e Volvo Bus, respectivamente, para posicionamento do caminhão nos mapas e para a integração na arquitetura eletrônica do veículo.

O presidente do Grupo Volvo na America Latina, Wilson Lirmann, destacou que mais uma vez a empresa mostrou a força da inovação e da liderança em tecnologia, itens presentes no DNA da companhia. “ Somo reconhecidos mundialmente por so­lu­ções de transporte inovadoras. Este é mais um lançamento que vai revolucionar o transporte no agronegócio brasileiro, um dos mais competitivos do mundo”, declarou o executivo.

AUTÔNOMO NA COLETA URBANA

Caminhão de coleta opera com sensores em rota pré- programada

O Grupo Volvo está testando um caminhão de lixo autônomo que tem potencial para ser usado em todo ambiente urbano. O projeto, em parceria com especialistas suecos de reciclagem e reciclagem Renova,  explora como a automação pode contribuir para aumentar a segurança do trânsito, melhorar as condições de trabalho e reduzir o impacto ambiental.

Para o diretor de tecnologia do Grupo Volvo, Lars Stenqvist, existe um grande potencial para transformar o ritmo rápido dos desenvolvimentos técnicos em automação e benefícios práticos para a sociedade em geral. “Nosso caminhão de lixo autônomo está liderando o caminho neste campo globalmente. É uma das várias inovações autônomas que estamos trabalhando agora”, disse.

A rota de coleta é pré-programada e um sistema de sensores monitoram continuamente para identificação, navegação e monitoramento ao redor do veículo. Se um obstáculo aparecer de repente em seu caminho, o veículo para imediatamente.

As mudanças de marchas, direção e velocidade são constantemente otimizadas para baixo consumo de combustível e de emissões. A maior parte desta tecnologia é a mesma utilizada pela Volvo no caminhão autônomo para operações de mineração.  O projeto do veículo coletor de lixo em conjunto com a Renova continuará até o final de 2017.

OPERAÇÃO DENTRO DA TERRA

Desde junho de 2016, um Volvo FMX equipado com a tecnologia autônoma opera dentro de uma mineradora no norte da Suécia especializada na extração de minérios como zinco, bronze, alumínio e ouro. O veículo transporta carga de 25 toneladas de pedras. Embaixo do solo, o veículo cumpre a programação mesmo no escuro dos túneis abaixo do solo, reconhece o espaço e a sua localização no mapa, detecta as paredes irregulares da mina, percebe obstáculos e faz manobras para mudar de direção. Tudo é exibido em uma tela instalada na cabine.