Por João Geraldo

Por ser mais leve do que os demais cavalos-mecânicos da marca produzidos e comercializados no Brasil, o nome Cavallino se encaixa como uma luva ao novo caminhão Iveco EuroCargo 450E32T. Mas não é apenas o tamanho, porque em matéria de desempenho o veículo demonstra força e desenvoltura para enfrentar a estrada com a carga para o qual foi projetado. Sem sofisticações, trata-se de um modelo enxuto, mas que não abre mão de determinadas características necessárias a um caminhão moderno que se propõe atender o transporte de carga em trechos de curtas e médias distâncias com 43 toneladas de PBTC.

Essa foi a impressão que ficou na equipe da Revista O Carreteiro ao devolver o conjunto na concessionária Cofipe, em São Paulo, depois de rodar por uma rota que incluiu variados tipos de relevo para se ter a oportunidade de sentir na prática a performance do Cavallino.

Como mais novo membro da linha EuroCargo no País, o veículo herdou qualidades da família, tais como a cabine que atende com eficiência ao motorista e ajudante no item conforto. Após subir os três degraus da escada de acesso ao seu interior, e sentar-se ao volante, a percepção do espaço oferecido é imediata. Cortinas e uma cama de bom tamanho contribuem para dar maior dimensão ao ambiente.

Na parte superior frontal há um módulo, no qual se encaixam o aparelho de rádio/CD/toca fitas, com duas luzes espia, ambas giratórias, além de uma terceira – maior – entre as duas (esta fixa). Abaixo, o painel de instrumentos, bastante simples e de fácil leitura, com os mostradores bem à vista, é montado em uma seção reta, sem a tradicional curva – que torna o painel envolvente – adotada por alguns fabricantes de caminhões. Velocímetro, conta-giros, marcadores analógicos de temperatura de água, pressão do freio, óleo e combustível, fazem parte do conjunto e ficam bem visíveis dentro dos dois raios do volante de direção.

Cabine leito do modelo Iveco EuroCargo se destaca pelo espaço oferecido aos ocupantes e uma cama de bom tamanho para o descanso do carreteiro

Trata-se de uma cabine já conhecida pelo mercado, com ventilação eficiente e climatizador elétrico de série que funciona mesmo com o motor desligado, itens que somados ao banco do motorista com amortecimento pneumático e várias regulagens, inclusive do volante de direção, facilitam a vida do motorista. O ajudante também tem sua regalia e conta com um banco com encosto de braço e várias opções de regulagem para o assento. Mas tudo isso faria pouco sentido se a parte mecânica não correspondesse às expectativas dos transportadores em termos de desempenho, item que pode ser encarado como um dos maiores destaques do Cavallino.

Esse desempenho tem sua origem principalmente no motor Cursor, de oito litros, cuja versão maior, de 13 litros, tem feito sucesso com o modelo Stralis. Trata-se de um propulsor eletrônico, com intercooler e seis cilindros em linha – cada um com quatro válvulas – que gera 320cv de potência a 2.400 rpm. Na faixa de rotação entre 1.300 e 1.900rpm, o veículo trafega solto, a uma boa velocidade de cruzeiro e ainda guarda reservas de aceleração para possíveis retomadas.

A parte frontal de todo o painel de instrumentos e comandos é simples, com marcadores e botões de fácil acesso. No teto climatizador e luzes são itens de série do veículo

Isso é resultado também do conjunto mecânico que inclui a caixa de mudanças ZF 16 S 1650 O D, uma unidade Over-Drive utilizada em caminhões com motores de maior porte e potência. No caso do Cavallino, a transmissão ficou superdimensionada, o que significa, na prática, um escalonamento de marchas ideal, que reduz a quantidade de trocas durante o percurso. Os engates são feitos com facilidade e exigem um pequeno curso da alavanca de câmbio, a qual está bem posicionada em relação à posição do motorista.

O sistema de freio-motor demonstra eficiência quando solicitado. Denominado de Iveco Turbo- Brake, o sistema tem sua ação controlada pela central eletrônica do motor e seu funcionamento para segurar o caminhão acontece da seguinte maneira: ao ser acionado – através de comando no painel – as válvulas de escape abrem rapidamente até o final da fase de compressão, liberam o ar acumulado dentro do cilindro e a injeção de diesel é cortada. Não havendo a explosão o pistão perde seu ritmo de trabalho, o motor a rotação e o trem-de-orça segura o caminhão.

Motor Cursor, de oito litros e 320 cv de potência responde bem na estrada. Basculamento total da cabine facilita acesso para manutenção

O Cavallino é disponibilizado em duas opções de cabine, sendo a leito opcional. Outros itens de série do modelo são o porta-estepe, eixo traseiro com barra estabilizadora, volante com regulagem de altura, secador de ar do sistema de freio, freio motor de descompressão com três posições e cubo de roda dianteira com banho de óleo. O preço sugerido da versão com cabine-leito é R$ 205.130,00 e 199.130 para a cabine simples.

Banco do passageiro não tem amortecimento pneumático, como o do motorista, mas oferece opções de regulagem.
FICHA TÉCNICA
MOTOR
Tipo Diesel, eletrônico e intercooler
Nº de cilindros 6 em linha com 4 válvulas cada
Potência 320cv a 2.400rpm
Cilindrada Total 7.790cm3
TRANSMISSÃO
Caixa ZF 16 S 1650 O.D (Over-drive)
Marchas 16 sincronizadas e duas à ré
Relações 11,64/ 9,70/ 8,00/ 6,67/ 5,73/
4,77/ 4,07/ 2,86/ 2,38/ 1,96/
1,64/ 1,41/1,17/ 1,00/ 0,83 .
Ré 9,41/ 7,84 (saída traseira para
tomada de força)
Diferencial Méritor MS23-165 simples redução
(relação de redução: 4,10:1)
SUSPENSÃO
Dianteira/Capacidade Molas semi-elípticas, estágio único,
batentes de borracha e buchas
Silent-Block – Dois amortecedores
telescópicos de dupla ação e barra
estabilizadora / 6.600kg
Traseira/Capacidade Molas semi-elípticas, dois
estágios com feixe auxiliar,
batentes de borracha, buchas
Silent-Block, dois amortecedores
telescópicos de dupla ação e
barra estabilizadora / 11.500 kg
DIREÇÃO
Modelo ZF 8097 Servocom
RODAS E PNEUS
Rodas Rodas 8,25” x 22,5”
Pneus (série) Radiais s/ câmara 295/80 R 22.5
Opcional 275/80 R22,5 sem câmara.
ABASTECIMENTO
Tanque de combustível 2 X 280