Durante o ano de 2017 a Arteris realizou uma pesquisa com 3.522 caminhoneiros, que passaram pelos trechos sob concessão do Grupo. O resultado mostrou que que a rotina dos motoristas de caminhão que inclui longas viagens, alimentação desregrada, falta de atividade física e poucas horas de sono provocam uma série de problemas de saúde aos caminhoneiros.

Do total entrevistado, 30% estão obesos; 35% apresentam colesterol alto e 37% possuem glicemia alta; além disso, 25% enfrentam uma jornada de mais de 18 horas no trânsito e 51% dormem na própria boleia do caminhão. O levantamento também aponta que 33% ficam fora de casa cerca de 20 dias em um único mês e, para driblar o cansaço da profissão, 19% deles utilizam anfetaminas.

Outros dos da pesquisa mostram que 3% ficam hospedados em hotéis na rotina de trabalho;- 19% usam anfetamina; 7% estão na faixa mais alta na Escala de Sonolência de Epworth, que indica um risco 70% maior de sofrer acidente automobilístico; 31% estão sobrepeso; 7% sofrem com hipertensão e 35% possuem triglicérides alta.

Além dos problemas de saúde, os acidentes de trabalho também fazem parte da rotina dos caminhoneiros. O levantamento também apontou que 23% dos entrevistados já sofreram algum tipo de acidentes nas estradas.