A Scania acaba de apresentar a nova geração de caminhões para o mercado da América Latina. As cabines foram completamente renovadas, já que nenhuma peça dos atuais modelos P, G e R foram reaproveitadas, e chegam ao mercado dois anos após seu lançamento na Europa. A grande novidade em cabine é a versão S, que pela primeira vez disponibiliza ao cliente o piso plano.

De acordo com a fabricante, a versão topo de linha é direcionada para os clientes mais exigentes. Os novos caminhões da Scania irão abranger 19 diferentes especificações da cabine nas versões R, S, P e XT. Atualmente as linhas P,G e R oferecem sete opções. “O desafio é criar um mix de cabines que pode, sem compromisso, oferecer as soluções e funcionalidades corretas para todas as aplicações e demandas”, afirma Celso Mendonça, gerente de Pré-Vendas da Scania no Brasil.

As cabines foram projetadas para proporcionar maior conforto e rendimento para os motoristas. Para isso, o assento ganhou mais opções de ajuste, a visibilidade frontal e lateral melhoraram por conta da posição inicial do motorista que está mais perto do para-brisas e um pouco para a esquerda, o painel foi rebaixado ligeiramente em comparação com os modelos anteriores, entre outros detalhes. No quesito segurança, a novidade mundial é o airbag lateral do lado do motorista.

A nova geração disponibiliza 36 opções de entre eixos – a linha atual oferece apenas cinco.

A nova geração de caminhões Scania tem motores de 7 litros , 9 litros e 13 litro com potências que variam de 220 a 620cv. Na nova família 7 litros, 220, 250 e 280 cavalos. No 9 litros, 280, 320 e 360 cavalos. No 13 litros, 410, 450, 500 e 540 cavalos (lançamento Global). E, no V8, 620 cavalos. Novos motores, aerodinâmica aprimorada e novos recursos na transmissão trarão 12% de economia operacional, segundo a Scania. “O sistema de alta pressão (8%), associado com as novas instalações no cofre do motor, a nova aerodinâmica (2%) e as inovações do Scania Opticruise (2%) ajudarão o usuário a economizar até 12% de diesel”, revela Mendonça.

Os caminhões começam a ser produzidos e vendidos em fevereiro de 2019 e, de acordo com os executivos da empresa, chegam, inicialmente, custando de 10% a 15% mais caros que a linha atual. A sueca começará a receber pedidos pelos novos modelos a partir de outubro.