REGISTRO, SP, BRASIL, 22-08-2017,08H00: - BR-116 - Trecho entre Serra do Cafezal e Registro. - Pavimento, obras, sinalização, colaboradores, praças de pedágio, arrecadadores, CCO, veículos operacionais, atendimento ao usuário, entorno, comunidades, passarelas. - Foto: Rafael Neddermeyer/JV Foto

A Arteris acaba de liberar 10 quilômetros da segunda pista da Serra do Cafezal. Essa é a última etapa de abertura das novas pistas, de um total de 30,5 quilômetros, que conectam os municípios de Juquitiba (SP) a Miracatu (SP).

A duplicação do trecho inclui também a entrega de quatro túneis com sistema de automação e segurança e  39 pontes e viadutos., totalizando investimento de R$ 1,3 bilhão, com recursos provenientes do aporte dos acionistas do Grupo Arteris, Abertis e Brookfield, e de linhas de financiamento de longo prazo do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

REGISTRO, SP, BRASIL, 22-08-2017,08H00: – BR-116 – Trecho entre Serra do Cafezal e Registro. – Pavimento, obras, sinalização, colaboradores, praças de pedágio, arrecadadores, CCO, veículos operacionais, atendimento ao usuário, entorno, comunidades, passarelas. – Foto: Juca Varella/JV Foto

A Arteris Régis Bittencourt realizou uma série de estudos técnicos para construção de pontes, viadutos e túneis, todos aprovados pelos órgãos de controle, de forma a garantir o menor impacto ambiental possível e favorecer a regeneração mais acelerada das matas. A obra incluiu, por exemplo, o plantio de mais de 400 mil mudas e a construção de 12 passagens de fauna monitoradas, além de 17 programas ambientais em curso para recuperação de áreas degradadas, proteção da fauna, da flora, de bioindicadores, de monitoramento da qualidade da água, ente outros.

Um dos principais benefícios da duplicação da Serra do Cafezal é a melhora das condições de segurança viária ao usuário. Por dia, uma média de 127 mil veículos trafegam pelas seis praças de pedágio ao longo da rodovia, sendo 60% deles caminhões, o que demonstra a vocação para o avanço do setor produtivo e das relações comerciais.

 

 

  • Luiz

    Demorou um pouquinho ,não é?? Mas gerou centenas de empregos!! Inúmeras empresas contratadas!! Uma só para movimentar os cones de sinalização,outra só para posicionar os pregos,outra para segurar o martelo,outra para pregar…. Sem contar os inúmeros “engenheiros,chefes,encarregados,para cada operário trabalhando,via-se ao menos très com capacete branco!!!