O Brasil se prepara para um possível surto da Síndrome Respiratória Aguda Severa (Sars), depois que uma jornalista inglesa ingressou no País e passou a apresentar os sintomas da pneumonia atípica, mas segundo o boletim do Hospital Albert Einsten, a paciente já apresenta melhora e não apresenta febre. Além da jornalista, os casos de um canadense de 25 anos, e do italiano Georgio Piccioni preocuparam as autoridades brasileiras, entretanto, os médicos já os descartaram de serem portadores da Síndrome asiática. Mesmo assim, o Estado de São Paulo já possui 25 leitos preparados na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Emílio Ribas, 24 no hospital da Unicamp e no Hospital São Paulo e 20 no Hospital Servidor Público Estadual, todos equipados com aparelhos de pressão negativa, os quais permitem a purificação do ar através de filtro, diminuindo o risco do ar infectado contaminar o ambiente externo. A pneumonia asiática, que surgiu na China, apresenta 2.800 casos de contágio e já fez 98 vítimas fatais, sendo 88 na Ásia (China, Hong Kong, Tailândia, Cingapura e Vietnã) e 10 no Canadá.