Manter distância segura ajuda a evitar a colisão traseira

O Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas no Estado do Paraná (Setcepar), em conjunto com a TRS Engenharia, formulou um estudo a ser entregue ao Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) para sugerir novos modelos de Combinações de Veículos de Carga (CVC) e avaliá-los comparativamente com os modelos de CVCs atuais, especificamente quanto ao peso por metro transmitido ao pavimento. Entre as mudanças mais significativas estão a permissão para circulação em vias públicas de combinações formadas por dois veículos, com  Peso Bruto Total Combinado (PBTC) passando de 53 para 59 toneladas, além da permissão de combinações PBTC de 57 toneladas, com comprimento mínimo de 22 metros, para circularem em vias públicas.

A última portaria sobre o assunto foi feita em 2006, baseada na resolução 210/06 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), com o objetivo de disciplinar os limites de peso e dimensões para a circulação de veículos de cargas e passageiros em vias públicas, estabelecendo parâmetros que devem ser seguidos pelos transportadores.

As novas propostas, segundo informou Gilberto Cantú, presidente do Setcepar, geram redução do custo logístico brasileiro e representam um avanço na economia do transporte rodoviário e colaboram com a segurança nas rodovias e complementam o modelo atual. “Considerando a redução do comprimento de alguns conjuntos, eles se tornam mais amigáveis com os outros veículos que compartilham a via, especialmente nas ultrapassagens e transposição das rodovias”, diz.

Principais mudanças sugeridas pelo Setcepar:

  1. Alterar a resolução 210/06 no Art. 2º, item “e”, passando de 53 toneladas para 59 toneladas e incluir o modelo na Tabela da Portaria Denatran 63/09.
  2. Alterar a resolução 211/06 no Art. 2º, item c, passando para comprimento mínimo de 22 metros e máximo de 30 metros, quando o Peso Bruto Total Combinado for superior a 57 toneladas.