Se no final de uma jornada de trabalho você sente peso, dores ou inchaços nas pernas, atenção, esses são os principais sintomas de varizes, e elas podem, inclusive, acarretar em afastamento da empresa, gerando transtornos a transportadores, autônomos e aos próprios motoristas.

São milhões de pessoas em todo o País que sofrem com problemas relacionados à doença, sendo 80% deles de origem familiar. Os principais afetados são geralmente pessoas que trabalham ou permanecem durante muito tempo na mesma posição, como, por exemplo, os motoristas de caminhão, que ficam sentados durante muitas horas na direção.

Para quem não conhece, as varizes são aquelas veias azuladas que ficam visíveis nas penas. Elas podem ser hereditárias ou secundárias, que surgem naturalmente durante a vida ou por traumas sofridos.

Segundo Carlos Alberto Razaboni, cirurgião vascular, a obesidade, o sedentarismo e a má alimentação são fatores que contribuem diretamente para esse aparecimento natural da doença. “As varizes são veias que se dilatam e não conseguem exercer pressão suficiente para retornar o sangue ao coração”, explica o especialista.

A posição em que os motoristas permanecem durante viagens extremamente longas facilita a aparição da doença. O Contran (Conselho Nacional de Trânsito) obriga, segundo a Resolução 14/98, que todos os veículos produzidos no Brasil, a partir de 1998, saíam de fábrica com bancos equipados com encosto de cabeça, para melhor posicionamento do motorista no veículo.

Embora a Resolução contribua para evitar doenças como as vasculares, outras questões importantes são contrárias a saúde dos condutores, como, por exemplo, a forma de remuneração. No transporte rodoviário de cargas essa questão tem sido veemente combatida pelos próprios profissionais do setor. Embora ela seja feita como em muitas profissões, de acordo a produção, para os profissionais das estradas ela acontece um pouco diferente: o motorista tem que entregar a maior quantidade de carga no menor tempo possível, isso significa que, além de transportar muita carga tem que ser em pouco tempo.

Com isso, as consequências para quem adota essa metodologia de trabalho à rotina são doenças, que podem ser evitadas com atitudes simples, como boa alimentação e atividades físicas.

Razaboni recomenda a natação como a melhor atividade em prol da circulação sanguínea e ação contra as varizes. “Na água, a pessoa sente menos o próprio peso e o esforço físico, além de exercitar braços, pernas e diversas partes do corpo simultaneamente”.

A natação ainda é mais adequada para quem tem entre 30 e 50 anos de idade, visto que as pessoas nesta faixa etária estão mais propensas a ter varizes – devido ao desgaste das paredes das veias.

Por outro lado algumas atividades físicas não são recomendadas, como a aeróbica, correr maratonas o praticar cooper, pois estimulam o desgaste das articulações. Embora pareça uma doença simples, muitas vezes tida apenas com estética, as varizes podem acarretar sérias complicações, como, por exemplo, gerar úlceras varicosas, que são as veias estouradas. Por isso, aos primeiros sinais e sintomas da doença a procura de um profissional é imprescindível. Em muitos casos, o tratamento é feito apenas com remédios ou o uso de meias elásticas que auxiliam na compressão das veias, mas, em casos mais graves, a forma de conter as varizes é a cirurgia, que não oferece grandes riscos.

Veja algumas práticas que podem ser feitas antes mesmo de entrar no caminhão

Alongamentos
Os alongamentos são os principais aliados do motorista, já que podem ser feitos mesmo o condutor estando sentado dentro da cabine, além de ter efeito eficaz contra as varizes – por estimular a circulação do sangue. “O músculo da panturrilha é um coração periférico, e pela inatividade ou pela fadiga, o retorno do sangue fica deficitário”, explica Maurício Garcia, coordenador do setor de fisioterapia do Instituto Cohen de Ortopedia.

Além de evitar o desenvolvimento das varizes, o alongamento pode impedir o surgimento da doença.

Recomendada pelo menos três vezes por semana, os exercícios podem ser feitos também antes de pegar a estrada ou nas paradas para almoço, pernoite, abastecimento, etc.

Esse tipo de exercício é uma das principais soluções para evitar também doenças como Lesão por Esforço Repetitivo, muito comum ao motorista que fica horas na direção.

No entanto, alongar-se não pode ser a única prática contra as varizes, é preciso adotar hábitos saudáveis. “Além da ginástica laboral e dos alongamentos, é bom fazer uma boa alimentação e reduzir o peso, quando necessário. Quando indicado, o uso de meias elásticas também contribuem para diminuição na incidência de varizes”, disse Moisés Cohen, diretor do Instituto Cohen de Ortopedia, Reabilitação e Medicina do Esporte.

Como prevenir: simples ações que podem evitar graves problemas de varizes

– Sempre que estiver com o caminhão parado procure se movimentar bastante – andar em volta do conjunto cavalo-carreta pode ser uma alternativa. Dentro do caminhão mexa as pernas e faça alguns exercícios de alongamento

– Faça caminhadas nos dias de folga: quando você anda ocorrem contrações dos músculos das pernas e, consequentemente, o bombeamento do sangue para retornar ao coração;

– Busque manter-se sempre no seu peso ideal: o excesso de peso exige mais circulação de sangue nas penas e mais esforço das veias;

– Durma com as pernas elevadas: com isso o sangue consegue voltar para o coração sem exigir muito esforço das veias. Você pode colocar travesseiros ou almofadas nos pés para mantê-los erguidos;

– Evite bebidas alcoólicas e o cigarro; esse consumo prejudica a circulação do sangue pelo corpo.

por Andrea Ramoa