Arla adulterado ou de má qualidade ou uso de chip paraguaio para enganar o motor do caminhão, são atitudes que além de agredirem o meio ambiente podem provocar o enquadramento do motorista na Lei de Crimes Ambientais, a qual prevê pena de um a cinco anos de reclusão. Leia mais

Confira as consequências no Infográfico preparado pela Afeevas – Associação dos Fabricantes de Equipamentos para Controle de Emissões Veiculares da América do Sul.