Em clima otimista, a Volvo anunciou investimento de R$ 1 bilhão entre 2017 e 2019 na América Latina. Desse total, 90% serão aplicados no Brasil e o restante na expansão da rede de concessionários no Chile. “A maior parte desse valor será utilizada na fábrica de Curitiba. Investiremos em produtos, serviços e manutenção da nossa capacidade de produção”, destacou o presidente do Grupo Volvo América Latina, Wilson Lirmann.

A Volvo encerrou 2016 com 27,9% de participação no mercado de pesados. “Pelo terceiro ano consecutivo, o FH 460 e o FH 540 foram os veículos pesados mais vendidos do Brasil, com 1.426 unidades e 1.344 unidades, respectivamente”, destacou Bernardo Fedalto, diretor de caminhões Volvo no Brasil, Paraguai, Bolívia e Uruguai.

As exportações da companhia também ganharam destaque no ano passado com crescimento de 30%, o que representou 42% do total de vendas de caminhões na América Latina. “A nossa expectativa de mercado para 2017 é que a partir do segundo semestre aconteça uma recuperação compensando um início de ano mais fraco e atingindo uma estabilidade  e crescimento de até 10%”, estimou Fedalto.

Volvo conquista bons resultados na América Latina

Em 2016, a marca dobrou a sua participação de mercado no segmento de pesados na Argentina, atingindo a marca de 15,5%. Já o Peru atingiu 28,2% de market share em pesados e 6,1% no segmento de semipesados, resultado duas vezes maior do que o registrado no ano anterior. “Foi um ano difícil. Mas equilibramos nossos resultados na região, crescendo na América Latina e fazendo a lição de casa no Brasil”, destacou Wilson Lirmann.

Pós-venda permanece em destaque em 2017

De acordo com Fedalto, em momentos de baixa na economia brasileira, o pós vendas foi o grande responsável por manter a estabilidade das concessionárias da marca através da prestação de serviços, peças, assistência técnica e contratos de manutenção.

Ele explicou que  a Volvo oferece contrato de manutenção há 15 anos, mas houve uma mudança na característica do mercado nos últimos anos. “Ninguém acreditava que o transportador pagaria um custo fixo por uma eventualidade. Porém, hoje 50% dos nossos veículos carregam algum tipo de plano de manutenção”, concluiu. A expectativa é que a adesão aos planos de manutenção deve crescer em 2017.

Ainda de acordo com o executivo, outra ferramenta que gerou resultados satisfatórios com a mudança de comportamento dos transportadores é o Dynafleet. Entre 2015 e 2016 houve crescimento de 60%.

Consórcio bate recorde em 2016

A Volvo Financial Service Brasil – braço financeiro do Grupo Volvo – bateu recorde de consórcio alcançando a comercialização de R$ 1,15 bilhão de novos créditos. De acordo com Ruy Meirelles, presidente da Volvo Financial Services Brasil , o crescimento é de de 5% em relação ao volume realizado em 2015. O consórcio Volvo oferece prazo de até 100 vezes.

Outro destaque do do Banco Volvo foi na área de financiamento de produtos da marca no Brasil, chegando a 50% nos últimos dois anos. “O financiamento é uma ferramenta importante para o cliente que quer planejar compras futuras ou está com dificuldade de obter um financiamento. É um negócio importante para a Volvo”, finalizou Meirelles.